UOL Notícias Notícias
 
04/07/2010 - 17h36 / Atualizada 04/07/2010 - 17h53

Kaczynski admite derrota, mas Komorowski não comemora vitória na Polônia

Varsóvia, 4 jul (EFE).- Apesar de o candidato conservador à Presidência da Polônia, Jaroslaw Kaczynski, ter reconhecido sua derrota no segundo turno das eleições, realizado hoje, seu concorrente, o liberal Bronislaw Komorowski, preferiu não comemorar a vitória.

"A maior garrafa de champanhe vai esperar até amanhã, porque posso ver que estamos quase empatados, mas mesmo assim temos razões para o orgulho e a alegria", disse Komorowski após o anúncio dos resultados das pesquisas de boca-de-urna que o apontaram como o vencedor do pleito.

Kaczynski reconheceu a derrota e parabenizou Komorowski, mas pediu aos responsáveis pela apuração de votos para que fizessem seu trabalho minuciosamente diante do resultado apertado e da possibilidade de que possa virar o jogo.

"Se este resultado se confirmar na apuração, será uma escolha boa e segura para os poloneses", afirmou o primeiro-ministro, o também liberal Donald Tusk.

Após o fechamento das urnas, a rede de televisão pública "TVP" apontou Komorowski como vencedor do segundo turno das eleições presidenciais com 53,1% dos votos, contra 46,9% de Kaczynski.

De acordo com o canal privado "TVN24", o candidato liberal ganhou com 51% dos votos, enquanto Kaczynski estaria perto de 49%.

O candidato conservador apareceu ao lado de partidários, alguns vestidos com trajes folclóricos poloneses, e de sua sobrinha Marta, filha de seu irmão gêmeo e anterior presidente, Lech Kaczynski, morto em abril em um acidente de avião na Rússia junto com outras 95 pessoas.

"Agora é preciso se mobilizar e se preparar para as eleições parlamentares", disse Jaroslaw Kaczynski, que se emocionou quando lembrou a tragédia que vitimou seu irmão.

Analistas como o professor Andrzej Richard mostraram sua surpresa com a cautela de Komorowski, que guarda demonstrações de alegria para a divulgação dos resultados finais, e a atitude de Kaczynski, que admitiu imediatamente sua derrota e deu os parabéns ao ganhador.

"Não podemos esquecer que em 1995, quando fomos dormir, tínhamos um presidente, e quando acordamos, tínhamos outro", declarou o professor em referência ao pleito vencido por Aleksander Kwasniewski apesar de as pesquisas de boca-de-urna apontarem sua derrota.

Os resultados definitivos serão divulgados amanhã após uma longa noite de apuração na qual não se descartam surpresas.

"Hoje ganhou a democracia polonesa, é a principal ganhadora", afirmou Komorowski após conhecer os números das primeiras pesquisas, em referência à participação do eleitorado, que superou 56%, ultrapassando a do primeiro turno.

Na primeira votação, em 20 de junho, Komorowski foi o mais votado com 41% dos votos, contra 36% para Kaczynski.

Caso os resultados das pesquisas se confirmem nas urnas, Komorowski, atual presidente do Parlamento, será o chefe de Estado da Polônia durante os próximos cinco anos, cargo que já vinha exercendo interinamente desde a morte de Lech Kaczynski.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    -0,22
    3,175
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h23

    1,12
    65.403,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host