UOL Notícias Notícias
 
07/07/2010 - 17h16 / Atualizada 07/07/2010 - 17h58

Panamá vai querer extradição de Noriega apesar de condenação na França

Panamá, 7 jul (EFE).- O Governo do Panamá anunciou hoje que vai manter o pedido de extradição do ex-general Manuel Antonio Noriega mesmo depois de sua condenação pelas autoridades francesas a sete anos de prisão pelo crime de lavagem de dinheiro oriundo do tráfico de drogas.

"O Governo mantém sua posição de que o cidadão panamenho Manuel Antonio Noriega deve cumprir as sentenças ditadas pelas autoridades judiciais panamenhas e enfrentar os processos pendentes no Panamá", diz a Chancelaria panamenha por meio de um comunicado de imprensa.

Segundo o documento, o Ministério das Relações Exteriores panamenho está à espera do relatório oficial da decisão judicial, preparado pela missão diplomática e pelos advogados que representaram o Estado panamenho na reivindicação individual, "para determinar as ações a seguir".

Além da condenação a sete anos de prisão na França, Noriega deverá pagar uma indenização de um milhão de euros ao Estado panamenho por danos morais.

O ex-general também terá que pagar 2,3 milhões de euros à alfândega francesa pelo mesmo motivo e outros dez mil euros por despesas legais.

O Panamá reivindicava 27 milhões de euros (US$ 33,2 milhões) como reparação pelos danos morais e materiais ao país causados pela lavagem de dinheiro.

O advogado de defesa de Noriega no Panamá, Julio Berríos, disse à Agência Efe que a condenação ditada pela Justiça francesa "é um desenlace lógico pelas pressões dos Estados Unidos para manter o ex-general Noriega afastado de seu país".

"Todo este mecanismo de extradição por parte da França dificilmente terminaria com uma sentença de absolvição", acrescentou Berríos.

Segundo o advogado, a França só tinha interesse no aspecto econômico, porque "dois milhões de euros para o Estado francês é uma sentença desproporcional" em comparação com a condenação imposta ao seu cliente.

Para Barríos, a decisão do Governo panamenho de manter sua exigência de extraditar Noriega tem base no tratado de extradição assinado entre Panamá e EUA em 1904, uma vez que o ex-general cumpriu sua pena nesse país.

No começo de junho, o Panamá solicitou a extradição de Noriega à França, entre outras coisas, pela sentença contra o ex-general pela morte e decapitação do opositor Hugo Spadafora e outras causas que, no total, somam mais de 60 anos de prisão.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host