UOL Notícias Notícias
 
08/07/2010 - 12h45 / Atualizada 08/07/2010 - 12h57

Cientista russo acusado de espionagem chega a Viena para troca por espiã russa

Moscou 8 jul (EFE).- O cientista russo Igor Sutyagin, que cumpre pena por ter atuado como espião para o Reino Unido, foi transferido para a Áustria para sua eventual troca por uma espiã russa detida nos Estados Unidos, afirmou hoje um ativista de direitos humanos.

"Sei que Sutyagin já chegou a Viena. Me disseram que depois irá a Londres. Em Viena foi recebido por um oficial britânico", disse Ernst Chiorni, secretário da associação de defesa de cientistas russos à agência "Interfax".

O irmão de Sutyagin, Dmitri, disse que nenhuma autoridade confirmou a troca anunciada ontem pelo cientista, que desde 2004 cumpre uma pena de 15 anos de prisão por espionar para o Reino Unido e os EUA.

Fontes diplomáticas russas afirmaram anteriormente que Washington e Moscou acordaram uma troca de espiões que em 24 horas levaria Anna Chapman à Rússia, detida nos EUA junto a outras nove pessoas sob suspeita de espionagem para o Kremlin.

A troca de espiões foi estipulada na véspera em Washington entre o subsecretário para Assuntos Políticos do Departamento de Estado americano e ex-embaixador dos EUA em Moscou, William Burns, e o embaixador russo, Sergei Kislyak, disse um representante da Chancelaria ao jornal digital "Gazeta.ru".

A fonte afirmou que, em particular, foi acordado que os EUA entregarão Anna à Rússia, uma russa de 28 anos que leva o sobrenome de seu ex-marido britânico, com o qual viveu no Reino Unido por vários anos, e que é a mais conhecida dos dez supostos espiões detidos há duas semanas pelos serviços secretos americanos.

O mesmo representante acrescentou que nenhum dos dois países informará oficialmente da troca, sobre a qual o Ministério de Exteriores russo se negou hoje a comentar.

A fonte não explicou por quem a russa seria trocada, mas, segundo a imprensa, poderia ser por Sutyagin.

Também não ficou esclarecido se no total seriam trocados 11 espiões condenados em território russo por outros 11 detidos em países ocidentais, como afirmou na véspera o cientista, depois de ser transferido de sua prisão para Moscou e visitado por representantes dos serviços secretos russos e americanos.

Sutyagin disse a seus parentes que os visitantes mostraram a ele uma lista com o nome de 11 supostos espiões que seriam entregues, incluindo ele mesmo e o ex-coronel dos serviços secretos russos Sergei Skripal, condenado em 2006 a 13 anos de prisão por espionar para o Reino Unido.

O cientista disse ontem que sua troca aconteceria nesta quinta-feira, para o qual seria enviado primeiro a Viena e depois a Londres.

Segundo o jornal "Kommersant", que cita fontes dos serviços secretos, entre os outros espiões que a Rússia entregaria aos EUA estariam Aleksandr Zaporozhsky - ex-agente do serviço de espionagem exterior russo condenado em 2003 a 18 anos de prisão - e Alexander Sypachov - agente da CIA americano condenado a oito anos de prisão em 2002.

A inclusão de Sutyagin na suposta troca parece estranha, pois ele sempre negou suas acusações e não queria sair da Rússia.

Segundo sua advogada, o cientista poderia ter sido escolhido pelos EUA devido a fato de que, após o irregular processo contra ele, a organização Anistia Internacional o declarou "preso político" e seu nome foi mencionado em mais de uma cúpula entre russos e americanos.

Enquanto isso, a imprensa destaca que tanto Moscou quanto Washington desejam fechar o polêmico caso de espionagem, que dificulta a nova etapa de suas relações bilaterais e poderia obstaculizar a ratificação nos EUA do novo tratado de desarmamento nuclear.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,73
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,00
    65.010,57
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host