UOL Notícias Notícias
 
08/07/2010 - 12h51 / Atualizada 08/07/2010 - 13h46

Promotoria investiga informações que comprometem ex-cardeal belga

Bruxelas, 8 jul (EFE).- A Promotoria de Bruxelas investiga a origem das informações que apareceram na imprensa com relação aos supostos casos de pedofilia dentro da Igreja Católica da Bélgica.

A última informação fala descoberta da foto de uma menina nua no computador do ex-cardeal Godfried Danneels.

Segundo o jornal flamengo "Het Nieuwsblad", a foto corresponde a uma menina de menos de dez anos, que aparece agachada no chuveiro.

O porta-voz da Promotoria, Jean-Marc Meilleur, confirmou a existência da foto "suspeita", mas advertiu que se encontra em uma pasta temporária do computador, por isso não se deve tirar conclusões precipitadas.

"Qualquer pessoa que navegue pela internet pode ter este tipo de foto entre seus arquivos temporários", defendeu Meilleur, que esclareceu que até agora o computador pessoal do cardeal só foi analisado de maneira superficial.

No disco rígido do computador que foi do arcebispo de Malinas há fotos de mulheres seminuas, cuja origem a Polícia federal está tentando determinar.

O escândalo dos abusos sexuais na Bélgica veio à tona no dia 23 de abril quando o bispo da diocese de Bruges, Roger Vangheluwe, foi retirado da posição pelo papa após ter reconhecido que tinha abusado sexualmente de uma menor de sua entorno familiar quando era sacerdote.

A Promotoria de Bruxelas informou hoje que tomará medidas para evitar que continuem acontecendo vazamentos de informações relacionadas com esta investigação.

A Promotoria afirmou também que vai investigar a presença de documentos confidenciais relacionados com o caso do pedófilo Marc Dutroux, condenado a prisão perpétua por sequestrar, violar e assassinar várias meninas, encontrados no dia 24 de junho durante o registro do palácio episcopal de Malinas.

Segundo o jornal flamengo "De Morgen", o material foi enviado em 2004 pela revista inglesa "The Sprout" ao cardeal Danneels e ao Vaticano para ver como reagiam.

A documentação inclui fotos da autópsia de Julie e Melissa, duas das meninas que Dutroux estuprou, assassinou e enterrou no jardim de sua casa.

Dutroux foi preso em 1996 e condenado em 2004 pelo sequestro e estupro de nove jovens e meninas, assim como pelo assassinato de quatro delas e de um cúmplice.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    14h20

    -0,07
    3,274
    Outras moedas
  • Bovespa

    14h21

    1,49
    62.591,24
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host