UOL Notícias Notícias
 
09/07/2010 - 17h30 / Atualizada 09/07/2010 - 17h36

Bolívia não aceita decisões da Ciadi em demandas com firmas de Chile e Itália

La Paz, 9 jul (EFE).- O Governo de Evo Morales anunciou hoje que não aceitará nenhum decisão do centro de arbitragem do Banco Mundial, Ciadi, sobre as reivindicações colocadas por empresas do Chile e da Itália afetadas por uma rescisão de contrato e por uma nacionalização, respectivamente.

A ministra da Defesa Legal do Estado, Elizabeth Arizmendi, fixou hoje essa posição em entrevista coletiva ao criticar as decisões tomadas por um tribunal do Centro Internacional de Regra de Diferenças Relativas a Investimentos (Ciadi) sobre as demandas da empresa chilena Quiborax e da italiana Euro Telecom Internacional (ETI).

O Governo Morales renunciou em maio de 2007 ao acordo que a Bolívia tinha com o Ciadi, no entanto essa decisão não pôde frear os processos arbitrais da Quiborax e ETI.

Além destas demandas, a Bolívia enfrenta trâmites prévios a arbitragens com outras empresas estrangeiras, entre elas filiais de firmas elétricas e de hidrocarbonetos nacionalizadas por Morales.

Segundo a ministra, cada arbitragem costa ao Estado boliviano entre três e quatro milhões de dólares.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    10h09

    -0,10
    3,133
    Outras moedas
  • Bovespa

    10h13

    0,41
    76.283,78
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host