UOL Notícias Notícias
 
11/07/2010 - 16h45 / Atualizada 11/07/2010 - 17h13

Venda de armas de fogo no país subiu 70% desde referendo de 2005

São Paulo, 11 jul (EFE).- As vendas de armas de fogo no país cresceram 70% desde o referendo de 2005, quando a maioria dos brasileiros votou contra um artigo do chamado Estatuto do Desarmamento que restringia o comércio.

A Diretoria de Fiscalização de Produtos Controlados (DFPC) do Exército informou hoje que em 2005 tinham sido vendidas 68 mil armas de fogo no país, número que subiu para 116.900 em 2009, como notícia a "Agência Brasil".

O referendo de 2005 não permitiu a entrada em vigor de um artigo do estatuto que proibia a comercialização de armas de fogo, exceto para as entidades previstas.

Com o antigo Estatuto do Desarmamento, aprovado em 2003, o comércio de armas caiu 89% entre 2001 e 2004.

Em 2001, antes do estatuto, se registrou o número recorde de venda anual com 566 mil armas legais comercializadas em todo o país.

A importação de armas - sem contabilizar as compradas pelo Exército e a Polícia - também teve aumento na última meia década, de 190% - de 1.100 em 2005 para 3.200 em 2009.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host