UOL Notícias Notícias
 
16/07/2010 - 14h38

Pelo menos 30 morrem no Iraque por incêndio em hotel

Bagdá, 16 jul (EFE).- Pelo menos 30 pessoas, entre elas 14 estrangeiros, morreram nas últimas horas em um devastador incêndio ocorrido ontem à noite em Sulaimaniya, informaram hoje fontes oficiais.

As circunstâncias da tragédia teriam sido um curto-circuito em um hotel da cidade iraquiana.

Entre os estrangeiros, há um venezuelano e um equatoriano, de acordo com fontes dos serviços de segurança.

O fogo começou a se alastrar por volta das 22h30 locais (15h30 em Brasília), e o fogo se estendeu rapidamente, até ser controlado pelos bombeiros.

Fontes do departamento da Saúde de Sulaimaniya confirmaram que o número de vítimas era de 30 mortos e 43 feridos, após revisar dados anteriores que diziam que havia 43 mortos e 25 lesionados.

A confusão sobre o número de mortos, segundo as autoridades, aconteceu devido a conflitos gerados pelas distintas instituições envolvidas neste incêndio.

As fontes consultadas pela Agência Efe disseram que, além do venezuelano e do equatoriano, há cidadãos dos Estados Unidos, Líbano, África do Sul, Bangladesh, Filipinas, Sri Lanka e Camboja, entre outras nacionalidades.

A última vítima que foi identificada até agora foi o libanês Yves Sfeir, de 31 anos, segundo informaram em Beirute fontes da empresa na qual trabalhava. Está previsto que seu corpo seja repatriado na noite deste sábado.

Inicialmente, a informação era de que entre os estrangeiros havia quatro americanos, mas as mesmas fontes não confirmaram depois esse número de vítimas americanas.

Há problemas na identificação das vítimas, pois muitas das pessoas que estavam no hotel não portavam seus documentos no momento do incidente.

Em princípio, as fontes oficiais de Suleimaniya atribuem a origem do incêndio a um curto-circuito que fez com que as chamas se estendessem rapidamente.

No entanto, Barham Salih, primeiro-ministro do Governo autônomo do Curdistão iraquiano, informou à televisão iraquiana que foi criada uma comissão para estabelecer as causas do incêndio e fixar as responsabilidades.

Sulaimaniya, de maioria curda e uma das duas cidades mais importantes do Curdistão iraquiano, junto com Erbil, a capital dessa região autônoma, está à margem da onda de violência que afeta outros lugares do Iraque.

De acordo com os relatórios divulgados pela imprensa local, algumas das pessoas morreram quando saltaram para se livrar das chamas, mas quase todas as vítimas morreram por asfixia da fumaça.

Entre as vítimas, há quatro crianças e sete mulheres, uma delas grávida, segundo fontes dos serviços de segurança.

Dos feridos, 19 estão em estado gravíssimo, segundo fontes do departamento da Saúde da cidade. Por isso, o saldo final de mortos pode ser maior.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h00

    0,32
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h04

    1,73
    63.749,33
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host