UOL Notícias Notícias
 
20/07/2010 - 05h58

Árabe é condenado por fazer sexo com mulher a quem disse ser judeu

Jerusalém, 20 jul (EFE).- Um árabe de Jerusalém foi condenado a um ano e meio de prisão por um delito de violação após manter relações sexuais consentidas com uma mulher à qual tinha dito que era judeu, informou nesta terça-feira o jornal "Ha'aretz".

O Tribunal de Distrito de Jerusalém considerou Sabbar Kashur, de 30 anos, culpado de violação a uma mulher judia ao entender que, apesar da relação ter sido consentida, ela foi enganada, e, portanto, não teve validade.

"O tribunal está obrigado a proteger o público de criminosos sofisticados que podem enganar vítimas inocentes a um preço insuportável - a santidade de seus corpos e suas almas", determinaram os juízes.

O caso aconteceu em setembro de 2008, quando Kashur conheceu a mulher e se apresentou como um jovem judeu em busca de relação afetiva. Os dois tiveram relações sexuais pouco depois.

Quando a mulher descobriu que seu amante não era judeu, mas árabe, iniciou um processo por violação e assalto indecente, que levará ao sedutor à prisão.

Segundo os juízes, "quando a base da confiança entre seres humanos desaparece, especialmente quando a situação em questão é tão íntima, sensível e infeliz, o tribunal deve se manter firmemente ao lado das vítimas" para evitar que estas sejam "utilizadas, manipuladas e enganadas".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host