UOL Notícias Notícias
 
20/07/2010 - 21h51

Globovisión diz que Chávez não terá maioria na Assembleia de Acionistas

Caracas, 20 jul (EFE).- A emissora de televisão venezuelana "Globovisión" disse hoje que os membros de seu diretório dependem do voto "de mais de 55% do capital social", pouco depois que o presidente Hugo Chávez disse que aspirava controlar 48,5% do canal privado.

"Além das pessoas que possam estar sentadas em sua Junta Direção, a linha editorial da Globovisión", de aberta oposição a Chávez, acrescentou a emissora em comunicado, "não tem percentagem de ações" e "nem se expropria nem se intervém".

O texto foi lido por Leopoldo Castillo, apresentador de um dos programas mais antichavistas da "Globovisión", depois que o presidente anunciou em um ato transmitido pela rede estatal de televisão que o Estado passará a controlar 48,5% da Globovisión.

Chávez somou os 28,5% das ações que disse que estão em nome do empresário e banqueiro Nelson Mezerhane, dono de um banco que o Governo interviu recentemente, e os 20% de "um senhor de sobrenome Tenorio que infelizmente faleceu".

O comunicado de Globovisión explicou, por sua vez, que o Conselho Nacional de Telecomunicações (Conatel) reconhece como única concessionária da emissora à empresa Corpomedios GV Investimentos, cujos acionistas "são três pessoas jurídicas, uma das quais é o Sindicato Ávila, cujo único acionista é Nelson Mezerhane".

Devido à transferência de ações ao Estado, a "Globovisión" admitiu que o Governo poderá designar novos representantes que, no caso de serem nomeados, "terão na Assembleia de Acionistas os mesmos direitos que os outros acionistas têm".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,03
    3,146
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,09
    68.714,66
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host