UOL Notícias Notícias
 
21/07/2010 - 19h28

Naked Cowboy da Times Square cumpre ameaça e processa concorrente


Nova York (EUA)
  • Robert Burck, o naked cowboy, já chegou a concorrer a prefeito de Nova York (imagem de julho de 2009)

    Robert Burck, o "naked cowboy", já chegou a concorrer a prefeito de Nova York (imagem de julho de 2009)

O "Naked Cowboy" ("vaqueiro pelado") de Nova York, famoso por tocar violão de cueca em plena Times Square, cumpriu a sua ameaça e processou um de seus concorrentes, a "Naked Cowgirl", exigindo que ela deixe de copiar a sua imagem, informou o site do jornal "New York Post".

Robert Burck, o famoso vaqueiro que ganha a vida cantando com chapéu de vaqueiro, botas campesinas e cueca nesse movimentadíssimo local em Nova York, apresentou um processo em um tribunal nova-iorquino contra Sandra Kane, acusada por ele de violar seus direitos de imagem e lucrar com isso.

No processo, Burck pede para que Kane deixe de posar como uma vaqueira de biquíni no mesmo ponto e a acusa de se aproveitar de seu nome e imagem para ganhar dinheiro, já que, inclusive, colou adesivos do vaqueiro no violão para atrair turistas e promover falsamente um disco de duetos com ele, que jamais foi gravado.

"Não se trata de dinheiro, mas de preservar a identidade de sua marca", declarou o advogado do "Naked Cowboy", Joey Jackson, ao jornal.

Para Jackson, ele deu "sangue, suor e lágrimas durante 13 anos para criar uma marca que é agora é adulterada e poluída por Kane".

No fim de junho, Burck enviou uma carta para Kane falando que tinha a intenção de denunciá-la se ela não parasse de copiá-lo. Depois, propôs que ela mudasse de profissão ou assinasse um acordo de franquia em que ela se submeteria à marca "Naked Cowboy", o que ela se negou veementemente a fazer.

Burck tem sua marca registrada e estabeleceu um sistema de franquias onde os interessados em se transformar em novos "vaqueiros pelados" devem pagar US$ 5 mil por ano ou US$ 500 por mês.

O "Naked Cowboy" já apresentou processos antes, quando entrou na justiça contra a fabricante de chocolates "Mars" ao considerar que um dos personagens promocionais de seu produto, os chocolates "M&M's", era inspirado nele.

O vaqueiro pediu, na época, US$ 6 milhões por considerar que a companhia não respeitou sua marca registrada, o mesmo pelo qual agora acusa Kane, e conseguiu que a empresa retirasse o material promocional que tinha em sua loja na Times Square.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h30

    0,10
    3,898
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h36

    0,63
    86.941,89
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host