UOL Notícias Notícias
 
02/08/2010 - 17h24

Instituto de direitos humanos funcionará em ex-prisão da ditadura argentina

Buenos Aires, 2 ago (EFE).- O Instituto de Políticas Públicas de Direitos Humanos do Mercosul funcionará no prédio da antiga Escola de Mecânica da Marinha (Esma), em Buenos Aires, a maior prisão clandestina da ditadura argentina.

O Conselho de Ministros do bloco formado por Argentina, Brasil, Uruguai e Paraguai aprovou hoje, na cúpula realizada na cidade de San Juan, uma resolução que cria a estrutura do instituto.

Fontes da Secretaria de Direitos Humanos da Argentina disseram à Agência Efe que o instituto estará instalado em cerca de 60 dias onde funcionou o maior centro clandestino de detenção da ditadura no país.

Os chanceleres do Mercosul também aceitaram a proposta argentina de nomear como diretor do instituto Víctor Abramovich, ex-vice-presidente da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) e ex-membro do Centro de Estudos Legais e Sociais argentino.

A iniciativa de criar o instituto foi aprovada em dezembro em Montevidéu, durante a última reunião do fórum, e foi proposta pelo Governo de Cristina Fernández de Kirchner.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    12h00

    -0,48
    3,260
    Outras moedas
  • Bovespa

    12h06

    1,50
    62.600,43
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host