UOL Notícias Notícias
 
04/08/2010 - 05h57

Chuvas na China já deixaram 1.700 mortos e desaparecidos

Pequim, 4 ago (EFE).- As fortes chuvas que caem na China desde o início da estação de monções causou até hoje pelo menos 1.072 mortes e deixou 619 desaparecidos devido a inundações, deslizamentos de terra e outros acidentes, informou nesta quarta-feira o Centro de Controle de Inundações e Secas da China.

Em todo o país são 140 milhões os afetados pela chuva em 28 das 30 províncias e regiões chinesas.

As perdas econômicas diretas são estimadas US$ 31 bilhões, segundo assinalou à agência oficial "Xinhua" o subdiretor do Centro, Shu Qingpeng.

A força da água destruiu mais de 1,1 milhão de casas e danificou 9,72 milhões de hectares de cultivo, enquanto os principais rios do país, como o Yang Tsé, o Amarelo e o Songhua, estão a ponto de transbordar e as inundações afetam mais de 160 cidades em todo o país.

Oito represas de pequeno tamanho foram destruídas, e outras mil correm riscos semelhantes, explicou Shu.

O temporal afeta inclusive províncias do norte do país, como Liaoning e Jilin, próximas às fronteiras com Rússia e Coreia do Norte, onde houve um recorde histórico de chuvas, que estão afetando os rios Yalu e Tumen.

O Yalu recolheu 256,5 milímetros nas duas últimas semanas, enquanto o Tumen registrou 147 milímetros, o que supõe 213% e 230% a mais, respectivamente, em comparação com as médias anuais, segundo a estação meteorológica local.

Em Jilin morreram 74 pessoas e 71 desapareceram nos últimos dois meses, segundo o departamento de Assuntos Civis local.

Desde junho, as chuvas torrenciais afetaram quase 4,6 milhões de pessoas nesta província, e forçaram a evacuação de mais de 784 mil. Além disso, a água destruiu 64 mil imóveis e danificou outros 265 mil, e pôs a perder as colheitas de 1,25 milhões de hectares.

As previsões meteorológicas indicam que as chuvas torrenciais continuarão nos próximos dias em Jilin, Liaoning e Heilongjiang, assim como nas províncias orientais de Gansu e Sichuan.

Ao mesmo tempo, algumas províncias orientais sofrem sua pior sequência de calor e seca, com quase 40 graus em Xangai e cerca de 43 em Jiangxi, segundo a "Xinhua".

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    -0,22
    3,175
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h23

    1,12
    65.403,25
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host