UOL Notícias Notícias
 
05/08/2010 - 07h05

Naomi Campbell admite ter recebido "2 ou 3 pedras sujas"


Em Leidschendam (Holanda)

A modelo Naomi Campbell declarou hoje ter recebido "duas ou três pequenas pedras sujas" das mãos de desconhecidos na noite em que conheceu o ex-presidente da Libéria, Charles Taylor, em seu depoimento como testemunha no julgamento do antigo dirigente, acusado de crimes de guerra.

Veja trechos do depoimento da modelo


O Tribunal Especial para Serra Leoa (TESL) julga Taylor pela acusação de financiamento à guerrilha revolucionária com os chamados "diamantes de sangue".

Taylor presenteou supostamente com diamantes brutos a modelo britânica após um jantar realizado na casa de Nelson Mandela, em setembro de 1997, quando ela tinha 27 anos e ele 49.

Naomi explicou que naquela noite retirou-se para o seu quarto após o jantar. Quando já dormia, dois homens bateram à porta do quarto para entregar-lhe uma pequena bolsa de tecido com "duas ou três pequenas pedras sujas", que então não sabia se tratar de diamantes.

"Para mim os diamantes eram peças lindas, brilhantes, que vinham em uma caixa especial, e não era isso que parecia", acrescentou.

"Este é um presente para a senhora", disseram os dois homens, sem se identificarem, como contou a top model.

Na manhã seguinte, Naomi comentou o episódio no café-da-manhã com sua agente, Carole White, e com outra das convidadas, a atriz Mia Farrow.

Segundo a modelo britânica, "uma das duas" disse que o responsável pelo presente "devia ser Charles Taylor".

A top afirmou que aquela noite foi a primeira e única vez que viu Taylor. Na manhã seguinte ela doou as pedras à Fundação Nelson Mandela.

Como lembra, ela não ficou com as "pedras" mais do que seis horas, pois após o café-da-manhã entregou-as ao então chefe da Fundação Nelson Mandela, Jeremy Radcliffe.

Só no ano passado a modelo voltou a conversar com Radcliffe, quem disse então que ainda tinha os diamantes em seu poder.

Durante o depoimento, Naomi se mostrou tranquila. Mas deixou transparecer o "incômodo" que era para ela participar do julgamento e sua vontade de "acabar com tudo isto o mais rápido possível" para continuar sua vida.

A modelo admitiu preocupação com "a segurança de sua família", pois viu na internet que Taylor "matou muitas pessoas" e não quer que sua família "corra risco algum".

Até conhecer Charles Taylor naquela noite disse "nunca ter ouvido falar de um país chamado Libéria, nem dos diamantes de sangue".

O TESL reservou seis horas hoje para ouvir Naomi. Se o tempo não for suficiente, o depoimento pode continuar amanhã.

Charles Taylor está sendo julgado desde janeiro de 2008 em Haia por 11 acusações de crimes de guerra e contra a humanidade por seu envolvimento no conflito civil que assolou Serra Leoa entre 1991 e 2002, e que causou 50 mil mortos.

 

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,59
    3,276
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -1,54
    61.673,49
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host