UOL Notícias Notícias
 
06/08/2010 - 06h07

Emirados Árabes reconhecem que navio japonês sofreu atentado

Abu Dhabi, 6 ago (EFE).- As autoridades dos Emirados Árabes Unidos (EAU) reconheceram nesta sexta-feira que o petroleiro japonês "M. Star" sofreu um ataque terrorista quando cruzava o Estreito de Ormuz no último dia 28 de julho.

A agência oficial de notícias "WAM", dos EAU, disse nesta sexta-feira que uma fonte da Guarda Litorânea do país revelou que as investigações dos especialistas "confirmaram que o petroleiro tinha sido alvo de um ataque terrorista".

"Os especialistas em explosivos dos EAU que recolheram e examinaram as amostras encontraram uma fenda a boreste, sobre a linha de flutuação, com restos de um explosivo caseiro no casco do navio", explicou a fonte, não identificada.

A "WAM" também disse que o petroleiro zarpou nesta sexta do porto do emirado de Fujairah, onde chegou após ataque, após ter os danos reparados.

É a primeira vez que as autoridades dos Emirados reconhecem que o navio sofreu um atentado. O ataque deixou ferido o segundo oficial da embarcação, de nacionalidade indiana.

No mesmo dia do atentado, o diretor do porto de Fujairah, Musad Morai, explicou que a embarcação foi atingida por uma forte onda ocasionada por um tremor de terra quando zarpava de Al Ruis, no emirado de Abu Dhabi.

No último dia 4, o grupo terrorista Al Qaeda assumiu a autoria de um ataque e disse que foi realizado por um de seus militantes, identificado como Ayub al Tishan e a quem descreveu como um "herói suicida".

"Devido à grande influência desta operação na economia internacional e nos preços de petróleo, os inimigos de Alá mantiveram o silêncio sobre a realidade desta ofensiva e alguns atribuíram a explosão a um terremoto", dizia o texto de um comunicado da Al Qaeda divulgado em páginas islamitas de internet.

O petroleiro "M.Star", com bandeira das ilhas Marshall, tinha partido dos Emirados Árabes Unidos com destino ao porto japonês de Chiba, a leste de Tóquio, com 31 tripulantes a bordo, 15 deles de nacionalidade indiana e os outros 16 filipinos.

A embarcação levava cerca de dois milhões de barris de petróleo quando sofreu o atentado, mas a explosão não causou um vazamento de petróleo.

O Estreito de Ormuz é uma porta estratégica que une o Golfo Pérsico com o Golfo de Omã e através dela passa a maioria do petróleo extraído de Kuwait, Arábia Saudita, Barein, Emirados Árabes Unidos, Iraque e Irã.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,48
    3,144
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,53
    75.604,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host