UOL Notícias Notícias
 
08/08/2010 - 20h35

Chávez comemora êxito de reunião entre chanceleres de Colômbia e Venezuela

Caracas, 8 ago (EFE).- O presidente venezuelano, Hugo Chávez, uniu-se hoje à "alegria" pelo êxito da reunião de chanceleres em Bogotá, que marcaram um encontro do líder com o colombiano Juan Manuel Santos, e anunciou que vai "trabalhar muito duro" para a reunião de terça-feira com o colega, em Bogotá.

Chávez interrompeu seu programa dominical "Aló, Presidente" para conectar com Bogotá e transmitir o resultado da reunião entre a chanceler colombiana, María Ángela Holguín, e o homólogo venezuelano Nicolás Maduro, acompanhada também pelo secretário-geral da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), Néstor Kirchner.

"Vou dormir tranquilo", disse Chávez após as breves palavras emitidas pelos dois chanceleres, embora já conhecesse o êxito da reunião por meio de uma conversa telefônica que teve momentos antes com Maduro.

Sobre seu encontro com Santos, Chávez indicou que não antecipará detalhes, mas reiterou sua vontade de "ajudar".

Após sua conversa com Maduro, o presidente venezuelano pediu a Deus "que o bom clima de hoje se mantenha pelos quatro anos do Governo que começa na Colômbia e pelos dois e meio que restam a nós".

Chávez agradeceu a Kirchner pela mediação e disse que a reunião de Bogotá foi um "reencontro para começar a reconstruir o que ficou pulverizado pela obsessão beligerante de um presidente que não vale a pena voltar a lembrar".

As relações Bogotá-Caracas estão rompidas desde 22 de julho por decisão de Chávez, que considerou uma "agressão" a Colômbia denunciar na Organização dos Estados Americanos (OEA) que há guerrilheiros colombianos em território venezuelano.

O presidente também comentou que os guerrilheiros devem assumir um plano de paz. Sem imiscuir-se em assuntos internos, Chávez indicou que vai insistir, junto com outros líderes latino-americanos, na necessidade de se estabelecer uma "mesa de paz" na Colômbia.

"A guerrilha é um problema. Por isso, vou insistir no caminho da paz e espero que o entendam", expressou o governante.

Ele assegurou também que estão de acordo com a "mesa de paz" os presidentes Luiz Inácio Lula da Silva, do Brasil; Cristina Kirchner, da Argentina; Rafael Correa, do Equador; Fernando Lugo, do Paraguai; Raúl Castro, de Cuba; e Daniel Ortega, da Nicarágua.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h29

    0,73
    3,150
    Outras moedas
  • Bovespa

    15h36

    0,83
    64.926,34
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host