UOL Notícias Notícias
 
08/08/2010 - 01h50

Funcionários tailandeses aceitaram subornos para importar tabaco brasileiro

Bangcoc, 8 ago (EFE).- Funcionários da Tailândia aceitaram quase US$ 2 milhões em subornos de empresas dos Estados Unidos para importar tabaco brasileiro entre 2002 e 2004, violando assim a lei que proíbe incorrer em negócios corruptos no estrangeiro a companhias americanas, segundo a imprensa local.

O jornal "Bangcoc Post" informou hoje que as tabaqueiras norte-americanas Universal Corp e Alliance Once desembolsaram esta quantidade para assegurar lucrativos contratos com o organismo titular do monopólio estatal sobre a importação de cigarros.

Para evitar um julgamento nos EUA, ambas as empresas aceitaram pagar US$ 30 milhões ao Departamento de Justiça americano, que tinha acusado formalmente as companhias de subornar funcionários estrangeiros.

Os EUA, que não divulgaram a quantidade nem a identidade dos corruptos, também deve processar pelo mesmo delito a filial da Universal no Brasil.

Há duas décadas e por causa da pressão de Washington, a Tailândia aceitou abrir seu mercado doméstico para as marcas internacionais de tabaco, embora uma agência governamental tenha o monopólio sobre a importação.

A Tailândia não é habitualmente vista como um dos países mais corruptos do Sudeste Asiático, mas no ano passado o Banco Mundial criticou que avançou pouco em erradicar a praga nos últimos anos.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    15h40

    -0,27
    3,268
    Outras moedas
  • Bovespa

    15h49

    1,45
    62.564,95
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host