UOL Notícias Notícias
 
10/08/2010 - 11h41

Kremlin repreende prefeito de Moscou por não suspender férias

Moscou, 10 ago (EFE).- O Kremlin repreendeu hoje o prefeito de Moscou, Yury Luzhkov, por não suspender suas férias quando a nuvem de fumaça dos incêndios sepultou a capital, onde a mortalidade dobrou devido a pior onda de calor da história do país.

"Na situação criada na cidade era extremamente importante que os dirigentes se encontrassem na cidade e pessoalmente adotassem a cada minuto todas as medidas possíveis para ajudar aos moscovitas e aos visitantes", assinalou uma fonte do Kremlin às agências russas.

Luzhkov, que rege a cidade desde 1992, retornou hoje de férias após ignorar vários pedidos para que interrompesse suas férias e colocasse ordem na cidade de 10 milhões de habitantes.

O Kremlin considera que "a ausência do prefeito impediu decisões importantes de serem tomadas com rapidez".

O prefeito reuniu-se hoje com o primeiro-ministro russo, Vladimir Putin, quem informou sobre a situação em Moscou, em que os índices de monóxido de carbono chegaram a superar seis vezes os níveis permitidos.

Luzhkov, que se negou a declarar o estado de emergência na capital, vigente em outras sete regiões, como exigia a oposição, anunciou medidas como o envio de milhares de idosos e crianças para balneários no sul do país.

Além disso, prometeu a Putin que Moscou mobilizará operários para a reconstrução das casas e infraestruturas danificadas pelo fogo em várias regiões russas.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,28
    3,182
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,29
    64.676,55
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host