UOL Notícias Notícias
 
10/08/2010 - 02h37

ONU e Coreia do Norte voltam a realizar encontro de coronéis

Seul, 10 ago (EFE).- Representantes militares do Comando da ONU e da Coreia do Norte se reuniram nesta quarta-feira, pela quarta vez, na zona desmilitarizada de Panmunjom para discutir o afundamento da embarcação sul-coreana "Cheonan", segundo a agência "Yonhap".

O Comando da ONU propôs a criação de um grupo conjunto para determinar as causas do afundamento do navio. Seul acusa Pyongyang de responsabilidade no incidente, que seria uma violação do armistício que pôs fim à Guerra da Coreia (1950-53) Este é o quarto encontro de trabalho em nível de coronéis desde que aconteceu a primeira reunião no final de junho para discutir o naufrágio do "Cheonan", no qual morreram 46 tripulantes.

Estes encontros têm como objetivo a preparação de uma reunião de generais entre as duas partes, que será realizada em data posterior.

Esta rodada de reuniões acontece em meio a forte tensão depois que a Coreia do Norte realizou na segunda-feira mais de uma centena de disparos de artilharia no Mar Amarelo (Mar Ocidental) em resposta às manobras que a Coreia do Sul realizou na zona entre quinta e segunda-feira.

Em encontros anteriores, o Comando da ONU (liderado pelos EUA) e a Coreia do Norte conseguiram poucos avanços para definir a reunião de generais, já que o país comunista rejeita o resultado da investigação internacional contratada pela Coreia do Sul, segundo a qual o naufrágio do "Cheonan" foi causado por um torpedo lançado por um submarino norte-coreano.

A Coreia do Norte insistiu em sua proposta de enviar um grupo de inspetores à Coreia do Sul para revisar a investigação.

A embarcação sul-coreana afundou em 26 de março, perto da fronteira com a Coreia do Norte, e causou a morte de 46 marinheiros sul-coreanos.

O Conselho de Segurança da ONU condenou o ataque, embora sem culpar diretamente a Coreia do Norte.

As Coreias estão em uma situação de guerra técnica depois que o conflito bélico entre 1950 e 1953 terminou com um armistício em lugar de um tratado de paz.

O Comando da ONU e a Coreia do Norte, signatários do armistício, realizam regularmente desde 1998 encontros em nível de generais, por mútuo acordo, para diminuir a tensão na península.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,45
    3,141
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    -0,39
    64.684,18
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host