UOL Notícias Notícias
 
11/08/2010 - 22h32

Júri recomenda 14 anos de prisão para ex-cozinheiro e motorista de Bin Laden

Washington, 11 ago (EFE).- Um júri militar da base americana de Guantánamo (Cuba) recomendou hoje uma pena de 14 anos de prisão para o sudanês Ibrahim Ahmed Mahmoud al Qosi, ex-cozinheiro e motorista de Osama bin Laden.

Segundo o site da "CNN", Qosi ouviu a sentença em silêncio por meio de um intérprete.

No dia 7 de julho, o sudanês de 50 anos assumiu as acusações de conspiração e apoio material para atos terroristas para evitar uma possível condenação à prisão perpétua.

A sentença, recomendada por um júri de dez oficiais militares, ainda tem que ser aprovada pelo Pentágono.

Qosi é o quarto detido em Guantánamo condenado desde a criação da prisão, em 2002, para os suspeitos de terrorismo.

No entanto, um acordo alcançado entre a Promotoria e a defesa pode permitir que Qosi seja enviado para seu país antes de completar a sentença.

Segundo o diário "The Seattle Times", o canal "Al Arabiya" disse no mês passado que as autoridades prometeram a Qosi que seria solto após dois anos mais em Guantánamo.

"Porta-vozes do tribunal militar se negaram a confirmar esse dado", disse o jornal.

O Pentágono deve divulgar o conteúdo desse acordo após revisá-lo, em um processo que pode se estender por semanas.

Enquanto isso, a juíza encarregada do caso, a tenente-coronel do Exército, Nancy Paul, anunciou que as autoridades terão um prazo de 60 dias para determinar onde Qosi deverá cumprir sua sentença.

Segundo a juíza, as autoridades não levarão em conta os oito anos e sete meses que Qosi já ficou na prisão.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h58

    -0,53
    3,128
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    -0,28
    75.389,75
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host