UOL Notícias Notícias
 
17/08/2010 - 20h28

Especialistas iniciam investigação de acidente aéreo na Colômbia

Bogotá, 17 ago (EFE).- Especialistas dos Estados Unidos iniciaram hoje as investigações do acidente com o Boeing 737-700 da companhia Aires Airlines que se partiu em três ao ser atingido por um raio quando se preparava para pousar no aeroporto da ilha colombiana de San Andrés, acidente que deixou um morto e mais de 100 feridos.

O grupo de investigadores se uniu às autoridades aeronáuticas da Colômbia, que chegaram na noite de ontem para remover a caixa-preta, disse o governador de San Andrés, Pedro Gallardo.

As três partes da aeronave, de fabricação americana, serão avaliadas por especialistas da Junta Nacional de Segurança do Transporte dos Estados Unidos (NTSB, na sigla em inglês) que se deslocaram até a ilha caribenha, com técnicos da empresa Boeing e da empresa Aires, proprietária do avião.

A aeronave ainda não foi removida da pista. O aeroporto continua fechado para voos comerciais e só é permitido o acesso de aviões menores e aviões-ambulância.

"Os restos do avião ainda estão intocados", acrescentou Gallardo.

O governador se declarou confiante de que os trabalhos serão feitos com rapidez para que os voos possam ser retomados e a economia da ilha, que depende do turismo, não seja muito afetada.

O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, anunciou que irá amanhã à ilha para agradecer aos organismos de emergências pelo pronto atendimento aos feridos e por terem impedido "uma tragédia".

Os ministérios de Transporte e de Defesa concordaram colocar à disposição dois aviões tipo Hércules (de transporte) para transferir as pessoas afetadas pelo acidente à cidade de Barranquilla.

"Por instruções do presidente Juan Manuel Santos, dispusemos deste apoio para que as pessoas cheguem a Barranquilla e sejam transferidas para suas respectivas cidades em companhias aéreas comerciais", assinalou hoje o ministro do Transporte, Germán Cardona.

Cardona conversou com presidentes de outras companhias aéreas para que disponibilizem seus aviões de pequeno porte para realizar operações comerciais na ilha e evacuar cerca de 3 mil pessoas.

Por sua vez, o secretário de Saúde de Bogotá, Héctor Zambrano, disse que 13 feridos com gravidade chegaram ontem à noite à capital colombiana, se encontram em estado de saúde estável e sob cuidados médicos. A maioria dos passageiros recebeu alta nos dois hospitais da ilha.

Além disso, indicou que há três pacientes muito graves, entre eles uma menina de 11 anos que sofreu traumatismo craniano e um cidadão alemão que está sob observação médica no centro de terapia intensiva.

O coordenador de emergências do Ministério da Proteção Social, Luis Fernando Correa, assegurou hoje que já começou o envio de remédios e produtos cirúrgicos à rede de emergências de San Andrés que atendeu às vítimas do acidente.

Entre os produtos estão agulhas, gesso, materiais de imobilização e macas.

Além disso, indicou que, com o apoio da Força Aérea Colombiana (FAC), será realizada nas próximas horas a transferência de outros 18 pacientes de San Andrés a Bogotá para serem atendidos na rede de hospitais da capital colombiana.

O acidente aconteceu à 1h50 local de segunda-feira (3h50 no horário de Brasília), quando o Boeing 737-700 da companhia Aires Airlines, que fazia a rota Bogotá-San Andrés com 131 pessoas a bordo, aterrissava no aeroporto da ilha.

A única vítima fatal foi Amar Fernández, que sofreu uma parada cardíaca quando era transferida para um hospital.

No avião viajavam turistas do Brasil, França, Alemanha, Costa Rica e Estados Unidos, entre outros países.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,95
    3,157
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h28

    -1,26
    74.443,48
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host