UOL Notícias Notícias
 
17/08/2010 - 10h05

Juízes espanhóis rejeitam condenação de iraniana a apedrejamento

Madri, 17 ago (EFE).- O Conselho Geral do Poder Judiciário Espanhol (CGPJ) expressou hoje sua rejeição à condenação à morte por apedrejamento da iraniana Sakineh Mohammadi Ashtiani.

Por meio de um comunicado, o órgão solicitou às autoridades iranianas a revisão do caso pelo qual a mulher, de 43 anos, poderia ser apedrejada por ter sido acusada de tentar participado do assassinato de seu marido e de ter cometido adultério.

"O Conselho entende que este tipo de pena representa uma intolerável vulneração dos direitos humanos, por isso solicita das autoridades desse país a revisão do caso ou o adiamento definitivo da decisão", informou o CGPJ, que decidiu transferir sua rejeição ao Ministério de Assuntos Exteriores.

Por enquanto, o Governo de Teerã atrasou a sentença por causa da pressão internacional gerada pelo caso, mas a condenação de Sakineh à morte não foi retirada.

Também hoje, a organização Anistia Internacional (AI) informou que recolheu na Espanha mais de 110 mil assinaturas contra os apedrejamentos no Irã, em uma campanha de conscientização na internet que começou em janeiro e que agora está centrada no caso de Sakineh.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    13h30

    -0,54
    3,119
    Outras moedas
  • Bovespa

    13h39

    -0,54
    75.560,58
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host