UOL Notícias Notícias
 
19/08/2010 - 01h49

Coreia do Norte confirma detenção de pesqueiro sul-coreano

Seul, 19 ago (EFE).- A Coreia do Norte confirmou nesta quinta-feira através da agência estatal "KCNA" que deteve um barco pesqueiro sul-coreano com sete tripulantes a bordo, quatro sul-coreanos e três chineses, por terem violado as águas territoriais norte-coreanas.

O barco foi dado como desaparecido no último dia 8, quando retornava do trabalho, e a Coreia do Sul acreditava que tinha sido detido pelas autoridades norte-coreanas, apesar de o regime de Kim Jong-il não ter confirmado a detenção até esta quinta.

A agência norte-coreana "KCNA", citada pela sul-coreana "Yonhap", indicou que o barco "Daeseung" violou a fronteira entre as duas Coreias no Mar do Leste (Mar do Japão).

"Segundo nossa investigação inicial, o barco tinha quatro tripulantes sul-coreanos e três chineses, e seus testemunhos mostraram que violaram nossa zona econômica exclusiva", indicou em seu breve comunicado a "KCNA".

A imprensa sul-coreana tinha informado anteriormente que o pesqueiro estava nas cercanias de uma zona pesqueira conjunta das duas Coreias na costa leste da península e que, após ser a detenção, foi levado ao porto norte-coreano de Sungjin.

A Coreia do Sul pediu em várias ocasiões às autoridades norte-coreanas a liberação da tripulação da embarcação.

Em 11 de agosto, Seul entregou uma mensagem à Coreia do Norte, através de uma linha de comunicação militar, pedindo a Pyongyang para entregar o barco e sua tripulação de acordo com as leis internacionais e os direitos humanos, enquanto pedia uma explicação sobre as circunstâncias em que aconteceu a detenção.

O fato ocorre em momentos de forte tensão entre as duas Coreias por conta do afundamento do navio de guerra sul-coreano Cheonan, em março, em incidente atribuído a um ataque de um torpedo da Coreia do Norte e que causou 46 mortes.

Além disso, no final de julho, Coreia do Sul e Estados Unidos realizaram testes militares conjuntos no Mar do Leste (Mar do Japão), e a iniciativa foi vista como uma demonstração de força a Pyongyang.

As duas Coreias estão tecnicamente em guerra desde o fim de enfrentamento armado entre 1950 e 1953, encerrado com a assinatura de um armistício em vez de um tratado de paz.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    0,67
    3,136
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,31
    75.990,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host