UOL Notícias Notícias
 
23/08/2010 - 18h52

EUA avaliarão casos de ex-presos cubanos que queiram se estabelecer no país

Washington, 23 ago (EFE).- O Departamento de Estado afirmou hoje que avaliará "caso a caso" as solicitações de presos cubanos libertados que queiram viajar aos Estados Unidos procedentes da Espanha com o objetivo de se estabelecer no país após terem sido libertados.

O porta-voz do Departamento de Estado, Philip Crowley, confirmou hoje que a secretária de Estado, Hillary Clinton, falou no sábado por telefone com o ministro de Exteriores da Espanha, Miguel Angel Moratinos, e disse que Washington manifestou a disposição em acolher os cubanos libertados que queiram ir para os Estados Unidos.

Crowley, que aproveitou a oportunidade para pedir novamente a Cuba "que liberte todos os presos de consciência", já tinha dito depois das primeiras libertações que os Estados Unidos estavam dispostos a acolher os presos que desejassem.

Explicou que o Departamento de Estado está "trabalhando estreitamente com o Departamento de Segurança Nacional para encontrar a maneira mais rápida de tramitar qualquer solicitação que estas pessoas possam fazer".

O porta-voz admitiu que o trâmite é mais complicado que se os presos tivessem chegado diretamente aos EUA.

Os EUA aplicam a política de "pés secos, pés molhados", que estabelece que os cubanos que chegam ao território americano podem ficar no país, enquanto os interceptados no mar, mesmo que a poucos metros da margem, são devolvidos a Cuba.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,54
    3,265
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h20

    1,36
    64.085,41
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host