UOL Notícias Notícias
 
02/05/2011 - 17h34

Conselho de Segurança da ONU reúne-se após morte de Bin Laden

Nações Unidas, 2 mai (EFE).- O Conselho de Segurança da ONU se reunirá nesta segunda-feira para falar sobre a morte no domingo em território paquistanês do líder da Al Qaeda, Osama bin Laden, nas mãos das tropas americanas, e tentar aprovar uma declaração a respeito.

Fontes diplomáticas no Conselho explicaram à Agência Efe que o principal órgão internacional de segurança terá encontros para abordar o tema do terrorismo após a delegação dos Estados Unidos ter apresentado nesta segunda-feira uma proposta de declaração conjunta dos países-membros.

"Estão discutindo sobre o texto dos Estados Unidos, uma declaração que previsivelmente será aprovada e deverá ser apresentado em declaração presidencial e comunicado à imprensa", indicaram as fontes, que detalharam que a alocução deverá ocorrer por volta das 17h30 (de Brasília).

A reunião do Conselho de Segurança, cuja Presidência rotativa está neste mês com o embaixador francês diante da ONU, Gérard Araud, ocorre após o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, revelar no domingo que o líder da Al Qaeda havia sido localizado e morto em uma troca de tiros por "um pequeno grupo" das forças americanas.

As fontes não revelaram o conteúdo do texto apresentado pela delegação americana na ONU, enquanto o secretário-geral do organismo, Ban Ki-moon, e o presidente da Assembleia Geral, Joseph Deiss, já se pronunciaram nesta segunda-feira sobre a morte do mentor dos ataques de 11 de setembro de 2001.

"A morte de Osama bin Laden anunciada pelo presidente (Barack) Obama é um marco na luta contra o terrorismo", afirmou Ban, quem indicou que "a ONU seguirá adiante nesse trabalho e vai continuar liderando a campanha (contra o terrorismo) junto dos líderes mundiais".

Na mesma linha, declarou Deiss, reiterando o compromisso do organismo internacional na luta antiterrorista, insistiu que "o terrorismo é inaceitável em todas as suas formas e manifestações".

Horas antes de saber que o Conselho se reuniria nesta segunda-feira, a embaixadora dos Estados Unidos na ONU havia demonstrado orgulho "pelas brilhantes forças especiais, os analistas em inteligência, o presidente e todos os que fizeram justiça com Osama bin Laden".

Soldados americanos mataram no domingo Bin Laden em uma mansão de três andares, avaliada em US$ 1 milhão e localizada próximo da importante academia militar de Kakul, centro de formação dos quadros do Exército do Paquistão.

Pouco depois, em uma transmissão a partir da Casa Branca em torno das 23h30 no horário local de domingo (0h30 de Brasília), o presidente Obama informou que Bin Laden morreu no Paquistão em um ataque conduzido por "um pequeno grupo" americano, no qual, após uma troca de tiros, o terrorista foi morto.

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    17h00

    0,39
    5,761
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h55

    2,49
    96.294,89
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host