UOL Notícias Notícias
 

Terremoto no Japão

Um dos maiores tremores da história desencadeia um tsunami, provoca mortes e deixa um rastro de destruição no Japão

  • Imagem: Reprodução
18/05/2011 - 06h03

Trabalhadores de Fukushima entram pela primeira vez no reator 2 da usina


Em Tóquio

Trabalhadores da Tokyo Electric Power Company (Tepco), operadora da usina de Fukushima, entraram nesta quarta-feira no edifício do reator 2 da central pela primeira vez desde a explosão de hidrogênio registrada dias depois do tsunami de 11 de março.

Segundo informou a rede de televisão "NHK", quatro trabalhadores permaneceram no interior do edifício durante 15 minutos para revisar os níveis de radiação e as condições da estrutura.

Tal qual ocorreu quando outros técnicos da Tepco entraram há quase duas semanas no edifício do reator 1, os operários usavam trajes protetores e tanques de ar nesta quarta-feira.

Segundo a operadora da central, os operários foram expostos a níveis de radiação entre 3,33 e 4,72 milisieverts, quando a legislação japonesa permite que na situação de emergência de Fukushima os trabalhadores recebam até 250 milisievert anuais.


Um robô havia entrado no edifício do reator 2 em 18 de abril para medir a radiação, mas não concluiu sua tarefa devido a elevados níveis de umidade de até 90%.

O terremoto e o tsunami de 11 de março interromperam o sistema de resfriamento de quatro reatores da central de Fukushima, gerando o acidente nuclear mais grave desde o de Chernobyl, em 1986.

Em 15 de março, ocorreu uma explosão por combustão de hidrogênio no edifício do reator 2 de Fukushima, após duas detonações similares registradas no dia 12 na unidade 1 e um dia depois no reator 3.

Os trabalhadores da Tepco trabalham desde então para atenuar constantes problemas, após constatar que o núcleo do reator 1 sofreu uma fusão e que possivelmente o mesmo ocorreu com as unidades 2 e 3.

No reator 3 está em andamento desde a noite desta terça-feira uma operação para transferir a água altamente contaminada do edifício de turbinas para um contêiner temporário, e o nível de água já desceu 144 centímetros, segundo a Tepco.

A operadora de Fukushima manteve nesta terça-feira o mês de janeiro de 2012 como o prazo limite para colocar um fim à crise nuclear na central.

Veja mais

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,85
    3,308
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h22

    0,25
    72.607,70
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host