UOL Notícias Notícias
 

Terremoto no Japão

Um dos maiores tremores da história desencadeia um tsunami, provoca mortes e deixa um rastro de destruição no Japão

  • Imagem: Reprodução
26/05/2011 - 06h41

Tepco investiga possível vazamento em depósito radioativo em Fukushima

Da EFE
Em Tóquio

A Tokyo Electric Power Company (Tepco), operadora da usina nuclear de Fukushima Daiichi, anunciou nesta quinta-feira que está investigando um possível vazamento em um dos depósitos temporários que utiliza para armazenar água radioativa procedente dos reatores.

A Tepco percebeu uma baixa no nível de água nesse depósito, embora não tenha detectado dados incomuns de radioatividade nas águas subterrâneas das zonas próximas, informou a agência "Kyodo".

A empresa indicou que, se o vazamento for confirmado, pode afetar o plano de retirar água contaminada dos edifícios dos reatores para que os técnicos possam entrar e trabalhar.

Nesta quarta-feira, a Tepco deixou de transferir água procedente do reator 3 ao depósito supostamente danificado, onde o nível do líquido desceu cinco centímetros nas 22 horas seguintes, o que também levou à suspensão de uma transferência adicional de água do reator 2.

Acredita-se que a água radioativa que há na central tenha vazado aos edifícios das unidades e turbinas adjacentes depois que as estruturas dos reatores ficaram perfuradas pela fusão parcial das barras de combustível após o terremoto de 11 de março.

A Tepco divulgou outros dados negativos durante esta semana, como a possibilidade de o terremoto de 9 graus na escala Richter ter danificado condutos básicos do sistema de resfriamento do reator 3, embora, a princípio, a empresa tenha dito que apenas o tsunami havia produzido danos.

A elétrica também revelou ontem que o terremoto pode ter perfurado a estrutura de pressão do reator 1, já danificado pela fusão parcial do combustível que abrigava.

A investigação coincide com a visita de uma equipe de técnicos da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), que hoje esteve na usina nuclear de Tokai Daini, na província de Ibarak.

O objetivo é avaliar o acidente em Fukushima, o pior em 25 anos, e os efeitos da catástrofe sobre as centrais do nordeste japonês.

Nos próximos dias, a equipe de técnicos visitará as usinas de Fukushima Daini e Fukushima Daiichi, onde segue a crise. O relatório sobre as inspeções será apresentado em 20 de junho em Viena, durante a reunião ministerial da AIEA.

Veja mais

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -0,85
    3,308
    Outras moedas
  • Bovespa

    18h22

    0,25
    72.607,70
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host