UOL Notícias Notícias
 
21/08/2011 - 12h09

Papa conclui visita à Espanha, pede coragem a católicos e fidelidade à Igreja

Juan Lara.

Madri, 21 ago (EFE).- Em uma das maiores concentrações de católicos na Espanha, o papa Bento XVI pediu neste domingo aos jovens reunidos em Madri na 26ª Jornada Mundial da Juventude que "não tenham medo" de proclamar o que são, mas advertiu que "não se pode seguir Jesus sem seguir a Igreja".

Visita do papa Bento 16 à Espanha
Veja Álbum de fotos

Diante de um público estimado de 1,5 milhão de pessoas, segundo o Vaticano, o papa encerrou na base aérea de Cuatro Vientos o encontro mundial de jovens católicos, aos quais pediu que divulguem o evangelho "mesmo onde há rejeição ou indiferença".

"Sejam testemunhas valentes e sem complexos. Não tenham medo de ser católicos, dando sempre testemunho disso a sua volta com humildade e sinceridade. Que a Igreja encontre em vocês os missionários dignos do Evangelho", declarou o pontífice ao término de uma cerimônia solene à luz do Sol, após a forte tempestade e vendaval da noite de sábado.

A tempestade da noite passada, que obrigou o papa a resumir seu discurso e a usar um guarda-chuva, danificou as 17 capelas onde estavam as 600 mil hóstias que seriam entregues neste sábado em comunhão, que não pôde ser celebrada. "O Santo Padre o sente profundamente", disse à Agência Efe o porta-voz vaticano, Federico Lombardi.

No início da missa, Bento XVI agradeceu aos jovens pelo "esforço e resistência" durante a vigília e pelo "grande sacrifício" que mostraram, pois, mesmo durante o vendaval, os jovens seguiram cantando e animando o evento.

Em uma homilia na qual exortou também aos jovens europeus a ajudar à Europa a "encontrar" suas raízes cristãs, o papa lhes advertiu que não se pode seguir Jesus sem seguir a Igreja.

"Seguir Jesus na fé é caminhar com Ele na comunhão da Igreja. Não se pode seguir sozinho. Quem cede à tentação de seguir por conta própria ou de viver a fé conforme a mentalidade individualista, que predomina na sociedade, corre o risco de não encontrá-la ou de acabar seguindo uma imagem falsa dela", destacou o pontífice.

O papa convidou-os a responder com "generosidade e coragem" a Cristo e lhes pediu que "não guardem" para si, mas anunciem aos demais, "já que o mundo precisa do testemunho de sua fé, certamente precisa de Deus".

Bento XVI encorajou-os a anunciar sua fé em Cristo, não só onde é rejeitado ou visto com indiferença, nas terras e países "onde há multidões de jovens que aspiram a coisas maiores e não se deixam seduzir pelas falsas promessas de um estilo de vida sem Deus".

O bispo de Roma disse que a Igreja "não é uma simples instituição humana, como outra qualquer, mas está estreitamente unida a Deus".

"Não se pode separar Cristo da Igreja, assim como não se pode separar a cabeça do corpo. A Igreja não vive de si mesma, mas do Senhor", enfatizou.

Bento XVI afirmou que, para que "cresça" a amizade dos jovens com Cristo, é "fundamental" que façam parte das paróquias, comunidades e movimentos, "assim como a participação na missa dominical, a recepção frequente do sacramento do perdão e o cultivo da oração e meditação da palavra de Deus".

No final da missa, Bento XVI anunciou que o Rio de Janeiro será a sede da 27ª Jornada Mundial da Juventude, que será realizada em 2013. O papa, de 84 anos, expressou seu desejo de viajar ao Rio para presidir o evento.

A missa na base aérea de Cuatro Vientos foi assistida pelos reis da Espanha e pelos ministros da Presidência e Fomento, Ramón Jaúregui e José Blanco, membros do Governo de José Luis Rodríguez Zapatero.

Ao todo, 14 mil sacerdotes concelebraram com o papa, assim como 900 bispos e 60 cardeais.

Bento XVI usou um cálice espanhol do século XVII e o vinho da missa foi da cidade de Jerez. O papa retorna esta noite a Roma.

Veja mais

Siga UOL Notícias

Tempo

No Brasil
No exterior

Trânsito

Cotações

  • Dólar comercial

    16h59

    -1,22
    3,142
    Outras moedas
  • Bovespa

    17h21

    0,67
    70.477,63
    Outras bolsas
  • Hospedagem: UOL Host