Relatora especial da ONU critica ação policial no Pinheirinho


Genebra, 27 jan (EFE).- A relatora especial da ONU para o direito à moradia adequada, Raquel Rolnik, reivindicou nesta sexta-feira às autoridades uma "solução apropriada", incluindo novas casas, para as pessoas que foram desalojadas nesta semana na região do Pinheirinho, em São José dos Campos.

"Estou horrorizada com o excessivo e repetido uso da força durante o despejo", disse a relatora em comunicado.

Raquel Rolnik demonstrou sua surpresa pelo fato de a Polícia Militar de São Paulo ter usado gás lacrimogêneo e balas de borracha contra os moradores do Pinheirinho, "incluindo crianças e idosos".

O processo de reintegração de posse foi realizado à força por ordem judicial, em uma operação que terminou com 32 detidos, entre outros delitos, por incendiar oito veículos e tentar agredir os policiais.

"A situação atual dos desalojados é extremamente preocupante, sem nenhuma outra alternativa de moradia, estão muito vulneráveis a outras violações dos direitos humanos", frisou a relatora.

Por essa razão, Raquel Rolnik pediu às autoridades do estado de São Paulo que suspenda a ordem de despejo e a ação policial em Pinheirinhos.

"Suspender a ordem de despejo permitiria às autoridades retomar conversas com os moradores para poder encontrar uma solução definitiva que cumpra os padrões de direitos humanos", declarou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos