Topo

Guru indiano é preso acusado de estuprar adolescente em centro de meditação

02/09/2013 14h09

Nova Délhi, 2 set (EFE).- Um tribunal na Índia determinou nesta segunda-feira a prisão de um famoso líder espiritual hindu, acusado de ter agredido sexualmente uma adolescente, informou uma fonte oficial.

Asaram Bapu, de 72 anos de idade, foi detido ontem pela polícia e hoje um juiz de Jodhpur determinou duas semanas de prisão, explicou um funcionário do serviço penitenciário à agência local "Ians".

Segundo a imprensa local, ocorreram enfrentamentos entre seguidores do guru e a polícia nas imediações da prisão.

A suposta agressão à adolescente, de 16 anos, aconteceu no dia 15 de agosto em um "ashram" (centro de meditação) de Bapu nos arredores da cidade. O guru e seus fiéis negam que o estupro tenha ocorrido.

A sociedade indiana vive em um estado de choque diante da contínua divulgação na imprensa de casos de violência sexual. O detonador desse clima foi o brutal estupro de uma estudante de fisioterapia, de 23 anos, por um grupo dentro de um ônibus em Nova Déli em dezembro do ano passado.

A jovem morreu 13 dias depois da agressão e o crime gerou um debate sem precedentes no país sobre discriminação contra a mulher, o que levou as autoridades a endurecerem a pena em caso de violência sexual.

O guru Bapu fez, logo depois do ataque contra a jovem no ônibus, declarações que provocaram muita polêmica, ao considerar que, mesmo sendo mais fraca que os estupradores, a vítima também era culpada, pois em vez de resistir "devia ter rezado a Deus e pedido que a deixassem em paz".

Um tribunal de justiça de Nova Délhi condenou neste sábado a três anos de reclusão em um centro de correção para menores o adolescente envolvido no caso.

Outros quatro acusados estão sendo julgados e podem ser condenados à pena de morte, enquanto outro, o suposto líder do grupo, suicidou-se na prisão segundo a versão oficial.

Mais Notícias