Topo

Vai a 11 o número de mulheres mortas após cirurgia de esterilização na Índia

2013-11-12T00:39:00

12/11/2013 00h39

Nova Délhi, 12 nov (EFE).- O número de mulheres mortas depois que passaram por cirurgias de esterilização em um acampamento de planejamento familiar governamental no centro da Índia aumentou nesta quarta-feira para 11, informou à Agência Efe uma fonte oficial.

Nas últimas horas ocorreram três novas mortes, que se somam às outras oito registradas desde a segunda-feira no estado de Chhattisgarh, segundo o diretor adjunto do Departamento Estatal de Saúde e Bem-Estar Familiar, Amar Singh Thakur.

Thakur relatou que cerca de 70 mulheres permanecem internadas das 83 que foram operadas e submetidas a uma esterilização em massa no sábado, como parte de uma campanha voluntária promovida pelo governo para auxiliar o planejamento familiar em áreas mais pobres.

O diretor afirmou que o motivo das mortes ainda é desconhecido, mas que poderia ser choque séptico, o que se saberá quando forem concluídas as autópsias.

As mulheres receberam 1,4 mil rúpias (US$ 22 dólares) para se submeterem à esterilização e suas mortes provocaram ontem protestos devido à aparente negligência médica.

De acordo com o jornal "The Indian Express", um médico fez as 83 esterilizações com um único instrumento em 4 horas, num hospital que estava fechado há um ano.

O governo local criou um comitê de investigação, suspendeu quatro funcionários de Saúde e anunciou compensações de 200 mil rúpias (US$ 3.267) para as famílias das mulheres mortas e 50 mil rúpias (US$ 816) para as que estão em estado crítico.

As autoridades de saúde da Índia realizam campanhas regulares de esterilização voluntária e remunerada para conter o crescimento demográfico.

As mortes nessas campanhas não são uma novidade no país.

De acordo com dados do parlamento divulgados pelo jornal "Hindustan Times", 1.434 mulheres morreram entre 2003 e 2012 após passarem por cirurgias desse tipo.

A Índia é o segundo país mais populoso do mundo depois da China, com cerca de 1,25 bilhão de habitantes.

Mais Notícias