PUBLICIDADE
Topo

Justiça absolve 3 acusados pelo acidente com Airbus da TAM em 2007

04/05/2015 22h05

São Paulo, 4 mai (EFE).- A Justiça Federal de São Paulo absolveu três acusados pelo acidente de avião da companhia aérea TAM ocorrido em 2007 no aeroporto de Congonhas que deixou 199 mortos.

Os absolvidos são a ex-diretora da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), Denise Abreu; o então diretor de segurança da companhia aérea, Marco Aurélio dos Santos de Miranda; e o vice-presidente de operações da TAM, Alberto Fajerman.

A decisão judicial foi tomada no último dia 30 de abril pelo magistrado Marcio Assad Guardia, mas divulgada somente nesta segunda-feira à imprensa.

Na sentença, o juiz argumenta que, seguindo as premissas da acusação, se poderia atribuir a responsabilidade pelo acidente a um "contingente incomensurável de indivíduos".

A Procuradoria da República tinha pedido penas de até 24 anos de prisão para os responsáveis da companhia aérea e da Anac ao entender que assumiram o risco de um acidente por não tomar medidas para melhorar as condições de segurança no aeroporto de Congonhas.

O acidente ocorreu em 17 de julho de 2007 quando um Airbus A320 da TAM não conseguiu frear na aterrissagem no aeroporto e depois se chocou contra um armazém da própria companhia aérea.

Esta é a segunda maior tragédia aérea no Brasil, depois do acidente do voo 447 da Air France que caiu em 2009 no Atlântico, em águas de jurisdição brasileira, com 228 ocupantes.