PUBLICIDADE
Topo

Cameron se reunirá com Hollande na 2ª feira para discutir sobre terrorismo

21/11/2015 13h57

Londres, 21 nov (EFE).- O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, se reunirá na segunda-feira em Paris com o presidente da França, François Hollande, para discutir a luta contra o terrorismo, confirmou um porta-voz do governo de Londres neste sábado.

A agenda indica que Cameron viajará na manhã de segunda-feira para reunir com o colega francês no Palácio do Eliseu, segundo essa mesma fonte.

"A expectativa é que (essas conversas) se concentrem na cooperação em matéria antiterrorista e na luta contra o Estado Islâmico (EI) na Síria e no Iraque", informou o escritório de Cameron.

Antes de se saber que o primeiro-ministro viajará à França na próxima semana, Cameron deu as boas-vindas à resolução adotada pela ONU na sexta-feira para "redobrar" as medidas contra o EI e considerou o fato como "um momento importante".

O chefe do governo britânico disse que a votação da ONU "mostra sem dúvidas a dimensão do apoio internacional" para "erradicar" o Estado Islâmico (EI), depois que o Conselho de Segurança das Nações Unidas encorajou os países a tomarem "todas as medidas necessárias" para agir contra os jihadistas na Síria e no Iraque.

O encontro entre Cameron e Hollande na França marcará o início de uma semana de diplomacia na qual Hollande também deve se reunir com o presidente russo, Vladimir Putin, a chanceler alemã, Angela Merkel, e o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

Após ficar ciente do resultado da votação da ONU na sexta-feira, Cameron ressaltou que o Reino Unido continuará "apoiando" seus aliados que combatem o EI na Síria.

"Eu continuarei tentando que façamos mais e consigamos apoio no parlamento para adotar as medidas que acho necessárias para o Reino Unido proteger nossa própria segurança, como parte de uma estratégia internacional. Não podemos esperar que outros arquem com os riscos de proteger este país", acrescentou Cameron.

O primeiro-ministro do Reino Unido tenta há tempos obter apoio para a autorização necessária do parlamento britânico para estender à Síria a operação militar aérea realizada contra alvos jihadistas no Iraque.

Os deputados britânicos já votaram contra a intervenção na Síria em agosto de 2013, e em novembro deste ano uma comissão parlamentar desaconselhou essa operação e pediu ao Executivo que foque em promover um plano de paz.

No entanto, após os atentados do fim de semana passado em Paris, Cameron aumentou seus esforços para convencer os deputados da necessidade de bombardear a Síria e sugeriu que convocará outra votação quando sentir que há um consenso.

Internacional