Alemanha assume presidência da OSCE querendo promover mais diálogo

Berlim, 1 jan (EFE).- O ministro de Relações Exteriores alemão, Frank-Walter Steinmeier, afirmou nesta sexta-feira que a Alemanha assumiu hoje a presidência da OSCE em "tempos turbulentos", mas com o objetivo de promover de novo o diálogo, readquirir confiança e restabelecer a segurança na Europa.

A Alemanha marcou para sua presidência da Organização para a Segurança e a Cooperação na Europa (OSCE) "objetivos ambiciosos", assinalou o chefe da diplomacia alemã.

Steinmeier ressaltou a importância de trabalhar arduamente "para impulsionar de novo o diálogo sem vacilar em qualificar quando houver violações dos princípios da OSCE e do direito internacional".

"Temos que fazer tudo o que estiver em nossas mãos para restabelecer a confiança perdida na Europa. Só sobre a base da confiança será possível conseguir de novo uma segurança estável na Europa", declarou o ministro, que garantiu que, como presidente rotativo da OSCE, a organização alcançará este objetivo.

Ao mesmo tempo, expressou sua satisfação de cooperar com os Estados-membros e os membros da OSCE com o objetivo de "renovar o diálogo, readquirir a confiança e restabelecer a segurança".

"A Alemanha assume a presidência da OSCE em tempos turbulentos. Nos encontramos talvez diante da ameaça mais séria para a paz e a segurança na Europa desde o final da Guerra Fria. A Alemanha está disposta a assumir responsabilidade", afirmou.

Entre as prioridades da OSCE em 2016 continua alcançar uma solução política ao conflito na Ucrânia.

"Nos últimos dois anos vimos que a OSCE contribuiu com mecanismos decisivos para diminuir a tensão e promover o diálogo. Temos que continuar avançando por esta via", disse Steinmeier, que acrescentou que a Alemanha cooperará "com total decisão e com todas suas possibilidades" neste esforço.

As atividades previstas durante a presidência alemã, que culminarão com um Conselho de Ministros em dezembro em Hamburgo, têm como meta facilitar a cooperação nos diversos âmbitos que a OSCE cobre, assinalou.

Neste sentido ele se referiu a impulsionar respostas conjuntas às ameaças globais, como o terrorismo internacional e a radicalização, continuar o diálogo sobre o controle de armas e sobre as medidas para fomentar a confiança, assim como apoiar a conexão a longo prazo e a boa governabilidade.

Em matéria de direitos humanos, a Alemanha estabeleceu como prioridade salvaguardar os compromissos assumidos e de prestar especial atenção para melhorar sua implementação.

"Nestes tempos de desafios e de mudanças fundamentais em nossas sociedades deveríamos prestar uma especial atenção à tolerância e à luta contra a discriminação nos Estados-membros da OSCE e entre eles", ressaltou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos