Bombardeios da coalizão no norte do Iraque matam pelo menos 50 jihadistas

Mossul (Iraque), 1 jan (EFE).- Pelo menos 50 extremistas do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) morreram nesta sexta-feira e dezenas ficaram feridos em bombardeios da coalizão dos EUA contra posições da organização em várias zonas da província iraquiana de Ninawa, informou à Agência Efe o resposável de segurança da União Patriótica do Curdistão, Gayaz al Suryi.

Os ataques aéreos causaram a destruição e o incêndio de oito veículos militares, entre eles dois carros-bomba, assim como de armamento pesado, segundo a fonte.

A coalizão dos Estados Unidos realizou mais de 20 bombardeios durante as passadas 24 horas, apesar do mau tempo, segundo o responsável curdo.

Os ataques afetaram as zonas de Al Asheq e Al Kask, na população de Al Eiadiya, 50 quilômetros ao oeste da cidade de Mossul, onde foram interrompidos todos os caminhos que o EI usa ao serem destruídos nos bombardeios vários pontes.

Também foram bombardeados os povos de Al Abzaj e Hamid, que pertencem ao distrito de Al Nimrud, 35 quilômetros ao sudeste de Mossul, assim como Safiya e Al Kanhash, que dependem da cidade de Kueir.

Al Suryi qualificou os bombardeios dos "mais intensos" realizados contra essas zonas e acrescentou que são parte dos preparativos para atacar e reconquistar esses lugares "em breve" com operações terrestres.

A província de Ninawa, o próximo alvo das forças iraquianas, é bombardeada quase diariamente pelas forças da coalizão, que há dois dias mataram cerca de 37 combatentes do EI.

Mossul, capital de Ninawa, está em mãos do EI desde junho de 2014, quando teu líder, Abu Bakr al Bagdadi, declarou um califado nos territórios sob seu controle no Iraque e na vizinha Síria.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos