Governo sírio e Frente Al Nusra trocaram presos, 3 deles oficiais iranianos

Cairo, 1 jan (EFE).- A Frente al Nusra - a filial síria da Al Qaeda - e as forças do regime sírio na província de Deraa trocaram presos, entre eles três oficiais iranianos, em dezembro, após chegar a um inédito acordo secreto e sem precedentes, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos nesta sexta-feira.

Um total de 210 membros do grupo jihadista e dois de seus líderes foram transferidos de Deraa à província de Idlib, em troca da libertação de três oficiais iranianos, que tinham sido capturados na primeira região.

Segundo o Observatório, os combatentes da Frente al Nusra foram levados a Idlib entre os dias 5 e 21 de dezembro em veículos com bandeiras do grupo xiita libanês Hezbollah, aliado do regime sírio.

Os comboios, que passaram por zonas controladas pelo regime, levavam as insígnias do Hezbollah para não serem revistados nos postos de controle, já que o acordo não era público.

Parte dos membros da Frente al Nusra incluídos na troca são parentes do líder do grupo, Abu Mohammed al Yulani.

Ainda não se sabe quando foram entregues os oficiais do Irã, país que apoia tanto o Hezbollah como o regime de Bashar al Assad no conflito sírio.

Ambas as partes optaram por manter o acordo em segredo, o que, na opinião do Observatório levanta suspeitas de que outros pactos similares estejam sendo feitos entre a Frente al Nusra e outros grupos.

A ONG apontou que o acordo teve dois intermediários, enviados pelo grupo jihadista para negociar com um sobrinho de um alto responsável de segurança do regime em Damasco.

As autoridades sírias chegaram a acordos com grupos rebeldes anteriormente - embora não diretamente com a Frente al Nusra - para evacuar bairros e localidades, mas estes foram públicos e sob o monitoramento da ONU.

Há três dias aconteceu a retirada dos feridos das cidades de Al Zabadani, Fua e Kefraya, em aplicação de um acordo entre as autoridades e os rebeldes para pacificar essas áreas.

No início de dezembro, mais de 700 combatentes de facções armadas e civis saíram do bairro de Al Waer, no noroeste de Homs, o último que estava nas mãos dos opositores, após um pacto semelhante.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos