Obama avaliará novas ações executivas para aumentar controle de armas

Washington, 1 jan (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, anunciou nesta sexta-feira que estuda assinar decretos executivos para aumentar o controle da venda de armas no país desenvolvido com o maior índice de homicídios com arma de fogo do mundo.

Em seu discurso semanal pela rádio, transmitido um dia antes do habitual, o presidente disse que atuará unilateralmente para enfrentar o problema da violência por armas no país, que levou a 2015 a ser um ano com mais dias com tiroteios mortais em lugares públicos do que sem eles.

"Há alguns meses pedi à minha equipe da Casa Branca que examinasse novas medidas que possamos tomar para reduzir a violência das armas", explicou o presidente, que culpou o Congresso, dominado pelos republicanos, de bloquear possíveis reformas.

Obama anunciou que se reunirá na próxima segunda-feira com a procuradora-geral, Loretta Lynch, para discutir opções possíveis para o poder executivo, depois de o Congresso resistir a aprovar reformas para aumentar o controle da posse de armas há três anos.

"Recebi muitas cartas de pais, professores e crianças para não fazer nada", afirmou Obama desde o Havaí, onde ele está passando as férias de fim de ano.

Obama disse que nessas mensagens recebeu o apoio de pessoas que "acreditam que a Segunda Emenda (da Constituição) protege o direito de levar armas e comporta a ideia de que podemos proteger esse direito evitando que irresponsáveis causem danos em massa".

Desde o tiroteio em uma universidade do Oregon, quando nove pessoas morreram assassinadas por um jovem com problemas mentais, Obama passou a avaliar possíveis vias legais para utilizar seu poder executivo.

Mais de 30 mil pessoas morrem nos Estados Unidos todos os anos pela violência relacionada a armas de fogo.

O país tem quase uma arma por habitante, o índice per capita mais alto do mundo, e o índice de mortes por arma de fogo é quase quatro vezes maior do que o segundo no ranking de países desenvolvidos dentro desta estatística.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos