Alemanha reforçará cooperação com espionagem estrangeira

Berlim, 2 jan (EFE).- A Alemanha reforçará a cooperação com os serviços de inteligência estrangeiros, anunciou neste sábado o ministro de Interior, Thomas de Maizière, após o alerta da noite de reveillon de planos de atentado terrorista em Munique.

"No futuro haverá uma troca ainda mais intensa de cooperação e informação do que há até agora com as forças de segurança de outros países", disse o ministro ao jornal "Bild".

No mesmo sentido se pronunciou o chefe do grupo parlamentar conservador, Volker Kauder, que qualificou de "muito importante a estreita cooperação" com os serviços de inteligência estrangeiros.

Maizière insistiu, ainda, que a situação continua sendo "muito séria", apesar de o nível de alerta em Munique, capital do estado da Bavária, ter sido rebaixado ontem.

O alerta por um suposto plano de atentado na noite ano novo foi ativado por causa da informação recebida desde um serviço de espionagem estrangeira e diante o temor de haver em Munique atentados como os de Paris de 13 de novembro.

As suspeitas apontavam que entre cinco e sete potenciais terroristas, de origem síria e iraquiana, teoricamente vinculados aos jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI).

Fontes policiais bávaras advertiram ontem que, apesar de terem recebido os nomes e sobrenomes dessas pessoas pela espionagem francesa, não conseguiram localizá-las até agora e não há nem mesmo a certeza de que elas existem.

A polícia de Munique avaliará agora as pistas dadas pela população, depois de pouco antes da entrada do Novo Ano terem decidido evacuar duas estações da cidade - entre elas, a central - por temer atentados jihadistas.

Maizière já havia assinalado ontem que a ameaça terrorista na Alemanha continuará sendo elevada também este ano e "não se reduzirá em um futuro próximo".

Na época do atentado de Paris, em novembro, o governo alemão recebeu informação de supostos planos de atentado durante um amistoso entre Alemanha e Holanda, que foi cancelado quando os primeiros torcedores começavam a entrar no estádio para assistir a partida, em que também era esperada a presença da chanceler Angela Merkel.

Os indícios desses planos de atentado não chegaram a se concretizar, e nem houve detenções, apesar de tanto Maizière como os responsáveis policiais de Hannover terem defendido como correta a decisão de suspender a partida.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos