EI divulga vídeo com execução de 5 "espiões" britânicos

Cairo, 3 jan (EFE).- O grupo terrorista Estado Islâmico divulgou neste domingo um vídeo pela internet em que supostamente executa cinco homens que descreve como "espiões" britânicos, e em que ameaça invadir um dia o Reino Unido, informou a emissora.

Na gravação, de mais de dez minutos de duração, e cuja autenticidade ainda não foi comprovada, um homem com o rosto coberto, exceto pelos olhos, acusa os cidadãos sírios de espionar para o primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, a quem chama "escravo da Casa Branca".

O jihadista, que fala um inglês perfeito com sotaque britânico, está rodeado de outros quatro terroristas, e todos eles disparam contra as cinco vítimas, ajoelhadas e vestidas com macacões laranjas, como é habitual nos vídeos do EI.

Na mensagem a Cameron, o jihadista afirma: "Eestranho é que escutem um líder insignificante como você desafiar o Estado Islâmico! Que estranho que o líder de uma pequena ilha nos ameace".

E acrescenta que Cameron não aprendeu a lição de seu "patético chefe em Washington (em alusão ao presidente dos Estados Unidos, Barack Obama) e sua campanha fracassada contra o Estado Islâmico".

Além disso, afirma que Cameron é igual, "arrogante e absurdo", a seus "antecessores (Tony) Blair e (Gordon) Brown", mas "mais absurdo ainda".

"Só um absurdo se atreve a declarar guerra a um país governado pela lei de Deus, onde o povo vive com a justiça e a segurança da 'sharia' (lei islâmica)", declara o jihadista.

Além disso, ameaça o governo e o povo britânicos: "Vamos continuar lutando, rompendo fronteiras, e um dia invadiremos sua terra, que governaremos com a sharia".

No vídeo também há uma mensagem para quem "desejar continuar lutando sob a bandeira de Cameron".

"Realmente acredita que seu governo se preocupará com vocês quando cair em nossas mãos, ou os abandonarão como abandonaram estes espiões e a aqueles que chegaram antes?", questiona o jihadista.

Além disso, insistiu: "Porque perderão esta guerra, como perderam no Iraque e no Afeganistão, mas desta vez seus filhos herdarão suas derrotas eos lembrarão como foram tolos os que lutaram contra o Estado Islâmico".

Antes de o cenário do assassinato aparecer na gravação, as cinco vítimas declaram que vários homens na Turquia os pediram para fazer fotos e gravar vídeos dentro da cidade síria de Al Raqqa, reduto do EI no país.

Elas acrescentaram que também receberam um pedido parafazer imagens de mulheres na cidade para "fazer um documentário contra o Estado Islâmico".

No vídeo, os cinco jovens dizem também que pediram para que fizessem um esquema das finanças do EI, que é também sede do tribunal islâmico, e para vigiar e perseguir combatentes do EI das nacionalidades britânica, australiana e turca".

Além disso afirmam que pediram para fazerem fotos de posições do EI que foram bombardeadas por aviões militares e da placa de um carro para persegui-lo e bombardeá-lo.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos