Khamenei assegura que governo saudita pagará pela execução de clérigo xiita

Teerã, 3 jan (EFE).- O líder supremo iraniano, Ali Khamenei, condenou neste domingo a execução do clérigo xiita dissidente xeque Nimr Baqir al Nimr e assegurou que os políticos sauditas pagarão por esta injusta execução.

Khamenei disse que "sem espaço para dúvidas, a injusta execução deste mártir inocente, será respondida de forma rápida e os políticos sauditas enfrentarão um castigo divino", informou seu site oficial.

A execução de Al Nimr foi um "erro político do governo saudita", disse o líder da República Islâmica do Irã, que denunciou perante o mundo os crimes cometidos pelo governo saudita ao referir-se a "este crime e outros similares que se realizam no Iêmen e no Bahrein".

O líder supremo iraniano também criticou com dureza "o silêncio dos reclamantes de liberdade, democracia e de direitos humanos" e seu apoio, em referência ao respaldo dos Estados Unidos ao governo de Riad.

"Este clérigo oprimido não encorajava as pessoas a um movimento armado e nem havia realizado uma conspiração oculta, a única coisa que fazia era criticar abertamente", comentou Khamenei.

O clérigo de 54 anos foi detido em julho de 2013 acusado de desobedecer as autoridades e ameaçar a união nacional.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos