Nora de Bachelet é denunciada em escândalo de corrupção no Chile

Santiago do Chile, 4 jan (EFE).- O Serviço de Impostos Internos do Chile (SII) apresentou nesta segunda-feira uma denúncia contra a nora da presidente Michelle Bachelet, Natalia Compagnon, e outras cinco pessoas por envolvimento no escândalo de crimes tributários conhecido como "Caso Caval".

Segundo fontes judiciais, os seis, entre eles um dos sócios da nora de Bachelet, foram acusados de participar de um milionário negócio imobiliário que gerou US$ 4,8 milhões de lucro a Caval, uma empresa de Natalia, esposa do filho da presidente, Sebastián Dávalos, também envolvido no caso.

"A denúncia tem relação com a apresentação de declarações maliciosamente falsas, ao incorporar faturas falsas na contabilidade da citada sociedade, rebaixando indevidamente a base tributável do imposto que deveria ser pago", explicou o SII no comunicado.

O "Caso Caval" investiga a compra de terrenos por Dávalos e Natalia na cidade de Machali, com um milionário empréstimo concedido por um dos donos de um dos principais bancos do país, para depois vendê-los por um preço muito maior.

Dávalos, que não aparece na lista divulgada hoje, foi assessor cultural do governo de sua mãe, mas, após a divulgação do escândalo, teve que renunciar ao cargo.

No dia 19 de junho de 2014, Bachelet enviou ao parlamento um projeto de lei que impede a especulação nas mudanças de uso de solo, uma iniciativa que evitaria atos de corrupção como o "Caso Caval".

A Promotoria pedirá no próximo dia 29 de janeiro a formalização das acusações contra nove pessoas envolvidas no escândalo. Dávalos e Natalia não estão incluídos neste primeiro processo do "Caso Caval". EFE

mc/lvl

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos