Vice-presidente argentina cancela 2.000 contratos assinados por antecessor

Buenos Aires, 4 jan (EFE).- A vice-presidente da Argentina, Gabriela Michetti, que também preside o Senado, rescindiu nesta segunda-feira mais de 2.000 contratos de trabalho assinados no ano passado por seu antecessor, o kirchnerista Amado Boudou, que elevaram a 6.000 o número de funcionários da câmara alta do país.

Segundo afirmou Michetti à agência oficial "Télam", a assinatura de contratos de 2.035 pessoas nos últimos 10 meses do mandato de Boudou é "injustificável".

"Não se pode justificar semelhante aumento já que o Senado mantém o mesmo número de senadores e as mesmas funções", considerou a vice-presidente.

Segundo relatório de Michetti, o orçamento do Senado passou de 2,4 bilhões de pesos (cerca de R$ 720 milhões) em 2014 para 4,32 bilhões de pesos (R$ 1,29 bilhão) planejados para este ano.

"Se hoje o Senado quisesse fazer frente ao pagamento de salários, sem aumentos, teria um déficit de 570 milhões de pesos (R$ 168 milhões)", disse a vice-presidente de Mauricio Macri.

A decisão de Michetti e a revisão realizada dos contratos no âmbito legislativo segue a linha de uma auditoria similar promovida pelo Executivo.

Por um decreto governamental, serão revisados nos próximos meses os contratos de funcionários públicos aprovados pelo Estado nos últimos três anos e a renovação de milhares de empregados temporários será objeto de avaliação.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos