China reprova com veemência teste nuclear norte-coreano

Pequim, 6 jan (EFE).- A China reprovou com firmeza nesta quarta-feira o teste nuclear norte-coreano e pediu ao regime de Pyongyang que evite ações "que piorem a situação" e mantenha seu compromisso com a desnuclearização da península coreana.

"O governo chinês se opõe formalmente" ao teste que foi realizado "apesar da oposição da comunidade internacional", afirmou uma porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Hua Chunying, em entrevista coletiva.

Hua anunciou que Pequim chamará para consultas um representante norte-coreano, mas sem detalhar se o mesmo será o embaixador.

"A China se opõe a este teste nuclear e convocaremos a parte norte-coreana para apresentar uma declaração formal", afirmou Hua.

A porta-voz leu um comunicado do governo chinês ao iniciar a entrevista coletiva diária no qual, além de expressar a reprovação de seu governo, garantiu que "a China não sabia de nada" com antecipação sobre o teste, que foi realizado às 23h30 de Brasília de terça-feira.

O tom da linguagem da declaração e das respostas da porta-voz oficial é o mais duro mostrado em muito tempo pela China com relação à Coreia do Norte, que tem Pequim como seu principal aliado político e econômico.

"A China cumprirá suas obrigações internacionais e trabalhará com a comunidade internacional para tornar realidade o objetivo da desnuclearização da península coreana" dentro das conversas a seis partes (EUA, China, Rússia, Japão e as duas Coreias), acrescentou Hua.

No entanto, a porta-voz não detalhou medidas concretas que serão realizadas pela China e, ao ser questionada se Pequim pretende impor sanções a Pyongyang, respondeu que seu país vai fazer "as contribuições necessárias" dentro do esforço internacional.

O regime norte-coreano anunciou que o teste foi realizado com uma bomba de hidrogênio, mas especialistas internacionais duvidam que Pyongyang tenha conseguido desenvolver essa tecnologia.

Ao ser perguntada se a China tem informações sobre este ponto, a porta-voz do Ministério de Relações Exteriores respondeu que as autoridades farão uma "avaliação" sobre a afirmação norte-coreana, e insistiu que os chineses "se opõem ao teste" e esperam "que a Coreia do Norte deixe de tomar medidas similares".

Além disso, Hua indicou que o Ministério de Proteção Ambiental da China está realizando análises "em tempo real" em locais próximos da Coreia do Norte para averiguar se há um aumento da radiação que possa representar perigo para a população chinesa.

Nesse sentido, Hua adiantou que os dados preliminares indicam que o nível de radiação "está dentro das margens normais e, por enquanto, não há impacto no meio ambiente e na saúde pública", mas assinalou que a população receberá informações mais detalhadas mais adiante.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos