Arábia Saudita e seus aliados negam ter atacado embaixada do Irã no Iêmen

Riad, 7 jan (EFE).- A coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita negou nesta quinta-feira que seus aviões tenham atacado a embaixada do Irã em Sana, capital do Iêmen, como assegurou o governo de Teerã.

O comando da coalizão disse que suas forças "não realizaram nenhuma operação nos arredores ou nas cercanias da embaixada" iraniana, segundo a agência oficial saudita "SPA".

O governo do Irã denunciou hoje que aviões de guerra da Arábia Saudita tinham atacado a sede de sua embaixada na capital do Iêmen e tinham deixado vários feridos entre seu pessoal.

Em comunicado enviado à agência oficial saudita, o comando desta coalizão que respalda o presidente iemenita, Abdo Rabbo Mansour Hadi, destacou que as investigações "confirmaram a mentira dessas acusações".

A nota acrescentou que o edifício se encontra em perfeito estado e que não sofreu danos.

O comando da coalizão também advertiu a todas as legações diplomáticas em Sana, controlada pelos rebeldes houthis, que não permitam que os milicianos xiitas empreguem as sedes de suas missões, tanto as ativas como as que foram evacuadas, com fins militares.

O comunicado lembrou que qualquer ação neste sentido seria uma violação dos acordos internacionais e, além disso, poderia pôr em perigo a vida dos cidadãos e seus bens.

Por sua parte, o Ministério das Relações Exteriores iemenita do governo leal ao presidente também negou as acusações lançadas pelo Irã, segundo indicou a agência oficial iemenita "Saba", vinculada às forças de Hadi.

Segundo a agência, a legação iraniana na capital não foi alvo de nenhum bombardeio.

Testemunhas consultadas pela Agência Efe asseguraram que a sede da embaixada não sofreu danos como consequência de um bombardeio efetuado nas proximidades pela coalizão árabe liderada pela Arábia Saudita.

A embaixada iraniana está situada no bairro onde fica a maioria das legações diplomáticas e em cujas ruas há restos de estilhaços.

Um morador do bairro disse à Efe que o ataque aéreo aconteceu na praça Al Sabain, a cerca de 700 metros da embaixada iraniana, e afirmou que não causou nenhuma avaria no edifício, nem sequer nos vidros das janelas.

Meses atrás aconteceu ali um bombardeio contra um complexo que pertence ao filho do ex-presidente iemenita Ali Abdullah Saleh, aliado dos rebeldes houthis, que provocou danos nos imóveis próximos.

A Arábia Saudita começou em março do ano passado uma ofensiva militar no Iêmen contra os insurgentes houthis, que contam com o apoio do Irã.

Este incidente coincide com um momento de alta tensão no Oriente Médio entre sunitas e xiitas, devido à execução na Arábia Saudita de um proeminente clérigo xiita e ao ataque de um grupo de manifestantes a sedes diplomáticas sauditas no Irã.

A Arábia Saudita decidiu romper relações diplomáticas com o Irã, uma medida seguida por outros regimes sunitas, enquanto a potência xiita proibiu hoje a importação de produtos sauditas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos