Chavismo espalhará imagens de Chávez e Bolívar por todo o centro de Caracas

Caracas, 7 jan (EFE).- O prefeito do município de Libertador, cuja capital é Caracas, Jorge Rodríguez, ordenou nesta quinta-feira a instalação de imagens do herói Simón Bolívar e do falecido presidente Hugo Chávez nas ruas da cidade em desagravo a uma decisão da nova direção do parlamento de retirar suas imagens da sede do Legislativo.

"Dei a ordem para que nas próximas horas em todas as ruas de Caracas, em todos os postes, nas cercas, esteja a imagem de nosso libertador Bolívar e esteja a imagem de nosso pai Chávez", disse Rodríguez diante de um grupo de partidários na praça Bolívar de Caracas.

Acompanhado de vários deputados governistas e de cerca de uma centena de simpatizantes, Rodríguez informou que a partir de hoje "os retratos de nosso pai libertador e de nosso pai Chávez que viraram alvos da direita fascista se manterão em exibição permanente".

Os presentes deixaram coroas de flores perante a estátua de Bolívar na praça e o prefeito anunciou que as imagens retiradas da Assembleia Nacional pela oposição serão instaladas nesse local do centro da capital venezuelana.

O ato faz parte de um conjunto de atividades convocadas pelo presidente venezuelano, Nicolás Maduro, como gesto de rejeição à decisão do presidente da Assembleia Nacional, Henry Ramos Allup, de retirar dessa instituição os retratos do atual chefe de Estado, de Chávez e do herói venezuelano, no mesmo dia em que tomou posse de seu cargo.

"Vimos as presas do fascismo, mas o povo já despertou, não se metam com os amores do povo, nunca nos ajoelharemos perante nenhum império", acrescentou o prefeito governista.

Ramos Allup defendeu hoje sua decisão de retirar as imagens do falecido líder da chamada revolução bolivariana, e de seu sucessor, por considerá-las um "abuso" contra a independência do Poder Legislativo.

O novo presidente do parlamento ressaltou que a instrução de retirar as imagens do herói abrangia apenas aquelas que se tratam de uma simulação do rosto de Bolívar, produto de um estudo ordenado por Chávez, através da análise dos ossos do personagem histórico, mas não afetava as pinturas originais do libertador.

Com esta decisão "o que houve é uma reparação ou substituição de um abuso (...) porque, reitero, enquanto eu for presidente da Assembleia Nacional, o único retrato que vai haver é o retrato original de Simón Bolívar, não a cópia falsificada feita por um computador", afirmou Ramos Allup.

Na Venezuela há vários anos se proliferaram as imagens destes personagens, especialmente de Chávez e Maduro, nas ruas e obras públicas do país.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos