Ex-presidente da Colômbia: detenção de "El Chapo" afetará processo de paz

Bogotá, 8 jan (EFE).- O ex-presidente da Colômbia Andrés Pastrana afirmou nesta sexta-feira que a detenção do narcotraficante mexicano Joaquín "El Chapo" Guzmán, líder do Cartel de Sinaloa, terá implicações no processo de paz que o governo desenvolve com as Farc há mais de três anos.

"É uma recaptura muito importante porque sabemos 'El Chapo Guzmán' é um dos maiores parceiros das Farc e esta prisão pode ter implicações muito grandes no processo de paz colombiano, especialmente na luta contra o narcotráfico", disse Pastrana à "Caracol Radio".

Ele afirmou que os cartéis mexicanos "são os que hoje estão manejando a droga na Colômbia", por isso a detenção de Guzmán "será sentida no país".

O presidente do México, Enrique Peña Nieto, anunciou hoje que Guzmán, que estava foragido desde em 11 de julho quando escapou de uma prisão de segurança máxima pela segunda vez, foi recapturado.

Pastrana ressaltou que neste momento as Farc devem dizer se têm vínculos com Guzmán e o narcotráfico.

"Como já foi dito: 'a paz nasce da verdade' e as Farc devem dizer se existe essa relação com o narcotraficante mexicano", afirmou o ex-presidente colombiano.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos