Forças egípcias matam 14 supostos jihadistas no norte do Sinai

Cairo, 6 jan (EFE).- O Exército egípcio, apoiado pela polícia, matou nas últimas horas 14 supostos terroristas e deteve outros 13 no norte da Península do Sinai, informaram as Forças Armadas em comunicado divulgado nesta sexta-feira em sua página oficial no Facebook.

Os supostos jihadistas morreram em enfrentamentos com as tropas egípcias, que realizaram várias ações dentro da segunda fase da operação "O direito do mártir", que pretende acabar com a presença de jihadistas no norte e no centro do Sinai.

Nas ações de hoje desta operação, que começou em setembro, participaram soldados militares com o apoio das forças antiterroristas da polícia e vários helicópteros.

A nota acrescentou que as forças egípcias desativaram 16 artefatos e destruíram três carros e 13 motocicletas utilizadas pelos supostos terroristas.

Além disso, foram apreendidas sete metralhadoras, uma escopeta de cartuchos, dois cintos-bomba e material para a fabricação de artefatos explosivos.

As tropas egípcias enfrentam no Sinai grupos armados radicais, que aumentaram seus ataques contra as autoridades desde a derrocada militar em 3 de julho de 2013 do presidente egípcio, o fundamentalista islâmico Mohammed Mursi.

Um dos grupos terroristas com base no norte da península é Wilayat Sina (Província do Sinai), filial egípcia do grupo jihadista Estado Islâmico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos