Estado Islâmico reivindica ataque que deixou 2 policiais mortos no Egito

Cairo, 9 jan (EFE).- A filial do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) no Egito reivindicou neste sábado em comunicado publicado em fóruns jihadistas a autoria do ataque a um comboio da polícia no qual pelo menos dois agentes de segurança morreram na periferia sul do Cairo.

Na nota, o grupo afirmou que os "soldados do califado" atacaram com armas leves o comboio do "coronel apóstata Ali Ahmed Fami" e acabaram com sua vida e a de "todas as pessoas" que viajavam na caravana, composta por "três veículos".

Fontes de segurança disseram à Agência Efe que na ação - realizada em Shubrament, no sul do Cairo - morreu o coronel e outro agente. Essa informação foi confirmada pelo Ministério do Interior do Egito em comunicado.

"Os irmãos (em alusão aos jihadistas) voltaram sãos e salvos", dizia a nota do grupo, que precisou que o ataque aconteceu no bairro de Abu Numros.

Nessa mesma região, em 28 de novembro pelo menos quatro agentes foram assassinados por dois homens que dispararam contra um carro da polícia. A ação também foi reivindicada pelo Estado Islâmico.

Ontem, dois turistas austríacos e um sueco foram feridos em um ataque de dois homens armados a um hotel na turística cidade de Hurgada, no litoral egípcio. A polícia interveio e matou um dos criminosos e deixou outro gravemente ferido.

O Egito sofre uma onda de atentados, a maioria contra forças de segurança e militares, desde o golpe militar de 3 de julho de 2013 que derrubou o então presidente egípcio, o islamita Mohammed Mursi, da Irmandade Muçulmana, grupo que tomou distância de todos estes atos terroristas.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos