Juncker vê risco de crise por plebiscito na Holanda sobre acordo UE-Ucrânia

Bruxelas, 9 jan (EFE).- O presidente da Comissão Europeia (CE), Jean-Claude Juncker, disse neste sábado que o plesbiscito que a Holanda realizará em 6 de abril sobre o acordo de associação entre a União Europeia (UE) e Ucrânia pode provocar uma crise no continente.

Juncker assegurou que um não da Holanda ao acordo "pode mudar o equilíbrio na Europa" e advertiu que, sem ameaçar o cidadão, é preciso deixá-lo ciente de sua responsabilidade, em uma entrevista publicada hoje pelo jornal holandês "NRC Handelsblad".

Para ele, uma decisão contrária ao acordo beneficiaria a Rússia, que rejeita esta aproximação da Ucrânia ao bloco comunitário.

O político luxemburguês lembrou ainda que os líderes europeus assinaram este acordo e disse confiar que também o defendam.

A realização deste plebiscito, que partiu de uma iniciativa popular, foi estipulada em outubro do ano passado, depois de o conselho eleitoral holandês comprovar que tinha alcançado as 100 mil assinaturas a mais que as 300 mil necessárias para convocar a consulta.

A Holanda, da mesma forma que mais de 20 Estados-membros da UE, já aprovou o acordo, que precisa do sinal verde de todos os 28 membros da União Europeia para entrar em vigor.

A campanha pelo plebiscito foi lançada pelo blog Geenstijl, pelo centro de estudos Fórum Voor Democratie (Fórum para a Democracia) e pela associação Burgercomite UE (comitê cidadão) em setembro.

A Geenstijl se opõe à expansão da UE e argumenta que o tratado de associação com a Ucrânia prejudicará o sistema democrático holandês. EFE

mrn/cd

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos