Papa diz que quem mata em nome de Deus está "desviado" da religião

Cidade do Vaticano, 11 jan (EFE).- O papa Francisco tachou nesta segunda-feira de "forma ideológica e desviada de religião" a violência que cometida em nome de Deus, durante o tradicional discurso de início de ano dirigido aos embaixadores credenciados perante a Santa Sé.

"Nunca se pode matar em nome de Deus. Só uma forma ideológica e desviada de religião pode pensar que se faz justiça em nome do Onipotente massacrando deliberadamente pessoas indefesas, como ocorreu nos sanguinários atentados terroristas dos últimos meses na África, Europa e no Oriente Médio", afirmou o pontífice argentino.

Francisco realizou esta reflexão ao lembrar sua viagem à África e em alusão à República Centro-Africana.

"Ali onde se abusou do nome de Deus para cometer injustiças, quis reafirmar, junto com a comunidade muçulmana da República Centro-Africana, que quem diz que acredita em Deus tem de ser também um homem ou uma mulher de paz", acrescentou.

Francisco também usou como exemplo sua visita do ano passado a Sarajevo, uma cidade "encruzilhada de culturas, nações e religiões" e "que está se esforçando, com resultados positivos, em construir pontes novos, valorizar o que une e ver as diferenças como oportunidades de crescimento em respeito a todos".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos