Bombardeios no norte da Síria deixam pelo menos 69 mortos

(Atualiza número de mortos e acrescenta informações).

Beirute, 12 jan (EFE).- Pelo menos 69 pessoas morreram nesta terça-feira em bombardeios, alguns deles efetuados por aviões da Rússia, nas províncias sírias de Aleppo e Idlib, informou o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

Desse total, pelo menos 43 morreram, entre eles quatro menores de idade, seis mulheres e vários membros da Defesa Civil, em supostos ataques aéreos russos nas localidades de Maarat al Nuaman, Saraqeb e Sarmada, todas elas em Idlib.

As duas primeiras povoações ficam no sudeste da província, enquanto Sarmada está na fronteira entre Idlib e a Turquia.

A maior parte da província de Idlib está sob controle da Frente al Nusra, filial síria da Al Qaeda, e de seus aliados.

Por outro lado, o Observatório acrescentou que pelo menos 14 civis, entre eles três irmãos de entre cinco anos e 18 meses, morreram em um ataque de aviões de guerra, cuja nacionalidade não informou, na cidade de Manbech, em Aleppo.

Manbech é uma das principais fortificações do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) na província.

Nas proximidades dessa cidade, pelo menos outro civil morreu em um suposto bombardeio de aviões russos contra a cidade de Muqabala.

Além disso, outras seis pessoas morreram em um ataque aéreo cuja autoria se desconhece em Mar Sita, no norte de Aleppo.

A ONG acrescentou que um suposto bombardeio russo também matou pelo menos cinco pessoas nas proximidades de uma mesquita no bairro de Qadi Askri da cidade de Aleppo, capital da província homônima.

Atualmente, a força aérea nacional, a força aérea russa e a coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos realizam bombardeios no território sírio.

O exército sírio e seu aliado, a Rússia, afirmam que seu alvo são as posições do Estado Islâmico e de outras organizações terroristas, embora ativistas e opositores denunciem que também têm como alvo áreas residenciais e bases de grupos rebeldes que lutam contra o regime.

A coalizão internacional costuma atacar posições do Estado Islâmico no norte da Síria, e em algumas ocasiões bombardeou quartéis de outras organizações, como a Frente al Nusra, filial da Al Qaeda neste país, e a facção radical Exército Ansar Al-Sunna.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos